Secretário de cidade mineira é suspeito de matar ex-namorada a tiros

Natália Epifânia
Jovem estava em uma festa quando foi atingida om três tiros na cabeça (Reprodução/Facebook)

Atualização às 12:19 do dia 13/07/2021 : Atualizado para incluir posicionamento da prefeitura de de São José do Jacuri

O secretário municipal de Esportes de São José do Jacuri, no Vale do Rio Doce, é suspeito de matar a ex-namorada a tiros, na madrugada desse domingo (11). De acordo com informações da Polícia Militar, Anderson Christian de Oliveira, de 37 anos, teria ido até uma festa em um sítio e disparado três vezes contra Natália Epifânia de Oliveira, de 23 anos, que também era servidora municipal.

O homem fugiu após o crime de feminicídio e ainda não foi encontrado. De acordo com o delegado responsável pela apuração, Rodrigo Nalon, a autoria e a materialidade do crime já estão definidas. “Representamos pela prisão dele junto ao Poder Judiciário e estamos em diligências com o objetivo de prendê-lo. Daremos continuidade às investigações para apurar as circunstâncias em que o crime ocorreu, bem como a real motivação do delito”, pontua.

Ex não aceitava término

A jovem foi assassinada em um sítio na zona rural do município de São Pedro do Suaçuí, por volta de 1h40 do domingo. De acordo com relato da irmã da vítima à PM, Natália havia terminado o namoro com o autor do crime, conhecido como Momó, há seis meses. Ele não aceitava o término e fazia constantes ameaças a ela e à família, mas ninguém o denunciou porque “tinham medo de morrer”.

Na madrugada do domingo, durante uma festa, o homem chegou ao local e viu Natália abraçada com um homem, ao lado da irmã dela. Ele não hesitou e deu três tiros em direção à cabeça da ex-namorada, que caiu no chão e morreu no local. O homem de 32 anos que estava com ela ainda foi atingido de raspão no tórax e no dedo indicador direito.

A irmã de Natália, então, partiu para cima do autor do crime e deu um soco nele, mas se abaixou em seguida com medo de levar um tiro. Após o disparo, os convidados e os organizadores da festa saíram correndo e deixaram o sítio. A PM já havia, inclusive, ido até o local às 22h30 do sábado (10) e exigido que a festa fosse interrompida, mas todos permaneceram no local.

Arma do crime

Enquanto os policiais faziam diligências no local, um homem apareceu para entregar a arma do crime. De acordo com relato dele, no momento do disparo, todos se desesperaram e várias pessoas entraram no carro dele. Quando eles estavam se preparando para deixar o local, o autor do crime teria jogado um revólver dentro do carro e fugido em outro veículo, um Gol de cor cinza ou verde.

Sem saber o que fazer, o homem foi embora e procurou um advogado, que o orientou a procurar a polícia e devolver a arma. O homem voltou ao local acompanhado do advogado e entregou o revólver de calibre 38, com três munições deflagradas e duas intactas.

Os policiais fizeram buscas na residência do secretário municipal e apreenderam um passaporte, uma carteira de habilitação e um celular. A perícia da Polícia Civil foi acionada e foi constatado que Natália sofreu uma perfuração no ouvido direito, uma no esquerdo, e outra no queixo. O corpo dela foi liberado para o IML (Instituto Médico Legal) e a ocorrência segue em aberto.

Prefeitura lamenta morte

A prefeitura de São José do Jacuri lamentou, por meio das redes sociais, a morte de Natália e de outra servidora municipal, que faleceu nesta segunda-feira (12). O prefeito Cláudio José Santos Rocha também decretou luto em toda a cidade em virtude das mortes.

“Neste momento de dor, a Administração Municipal também sensibilizada com o ocorrido registra sinceras condolências aos familiares, parentes e amigos, rogando a Deus que conforte os corações”, diz publicação da prefeitura nas redes sociais.

Ao BHAZ, a prefeitura de de São José do Jacuri também informou que o secretário Anderson Christian de Oliveira foi exonerado do cargo assim que os responsáveis tomaram conhecimento do ocorrido, “pois a administração não compactua com violência contra a mulher”. A portaria que determina a exoneração do servidor foi publicada ainda no domingo.

O que é feminicídio?

Feminicídio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Em 2015, a Lei do Feminicídio (Lei nº 13.104/15) juntou-se à Lei Maria da Penha na construção do empoderamento das mulheres em conjunto com as políticas públicas criadas para prevenir e punir atentados, agressões e maus-tratos.

As alterações trazidas pela Lei do Feminicídio imputaram mais severidade nas penas para crimes praticados nos casos de violência doméstica e familiar e de menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Com Agência Brasil

Edição: Giovanna Fávero
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários