Serpente é encontrada dentro de drogaria na Zona Sul de BH

drogaria araujo zona sul bh serpente
Serpente foi encontrada dentro de farmácia (Reprodução/Google Street View + Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Atualização às 10:26 do dia 05/02/2021 : A reportagem foi atualizada para incluir o posicionamento da drogaria Araujo.

Imagine você estar fazendo compras em uma farmácia e, quando olha pro chão, dá de cara com uma serpente? Pois um réptil foi encontrado na manhã desta sexta-feira (5) em uma unidade da drogaria Araujo no bairro Santa Lúcia, na Zona Sul de belo Horizonte. Os bombeiros foram prontamente acionados e ninguém ficou ferido.

O caso ocorreu nas primeiras horas da manhã de hoje. A farmácia já estava aberta ao público quando a serpente foi encontrada perto de uma das prateleiras da unidade. A drogaria fica ao lado de uma extensa área verde na rua Kepler, no bairro Santa Lúcia, e em frente a um supermercado Dia.

Uma viatura dos bombeiros foi mobilizada e capturou o animal de pequeno porte em segurança. Os militares não souberam precisar a espécie da serpente, mas garantiram que não se tratava de um animal peçonhento. O réptil foi solto em uma mata próxima.

“Em nenhum momento houve risco para as pessoas que estavam no interior da loja – dois clientes e os colaboradores. Todas as medidas necessárias foram adotadas imediatamente pela gerente da loja para garantir a segurança dos clientes e colaboradores”, afirmou a Araujo, em trechos de nota (leia na íntegra abaixo).

O que fazer?

Acidentes envolvendo animais peçonhentos são relativamente corriqueiros. Em Minas Gerais, uma pessoa é atendida pelos bombeiros após levar alguma picada a cada três dias. No ano passado, por exemplo, o Corpo de Bombeiros atendeu 145 vítimas. O número pode ser bem maior, já que alguns mineiros recebem atendimento sem acionar, necessariamente, o socorro dos militares.

Vítimas de ataques de animais peçonhentos em Minas:

2017 – 130
2018 – 142
2019 – 139
2020 – 145

Fonte: Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

E o que fazer caso você encontre algum desses animais em casa – ou, como no caso da Araujo, em algum comércio? “A primeira orientação é verificar se tem alguém perto do animal e que corra risco de ser picado, além de retirar os animais de estimação. Sempre manter a calma, e não tentar realizar a captura se não tiver conhecimento”, orienta ao BHAZ o sargento Allan Azevedo.

“Em seguida, acione as equipes de intervenção do Corpo de Bombeiros Militar pelo número 193, e aguarde no local. Se for possível, permaneça em segurança em um local onde você tenha sempre o animal no seu campo de visão, pois na hora que os bombeiros chegarem até o imóvel, a captura ficará mais fácil e segura”, complementa.

E para quem tem criança ou mesmo bebê na residência? “Os pais devem sempre mantê-las em seu campo de visão, verificar sempre os brinquedos, principalmente os brinquedos com peças pequenas. O local onde a criança transita tem que ser um local limpo, iluminado, e afastado de qualquer móvel, tanto para não correr o risco de cair e machucar, quanto ao risco de picada desse animais. Uma outra medida de segurança é afastar os móveis das paredes, principalmente berços, camas e sofás”, ensina Azevedo.

Nota da Araujo

“A Drogaria Araujo informa que, em relação à serpente que foi encontrada hoje pela manhã na unidade do bairro Santa Lúcia, todas as medidas necessárias foram adotadas imediatamente pela gerente da loja para garantir a segurança dos clientes e colaboradores. O fato aconteceu no momento de abertura da loja e o animal de pequeno porte foi recolhido pelo Corpo de Bombeiros e, em nenhum momento houve risco para as pessoas que estavam no interior da loja – dois clientes e os colaboradores. As informações referentes à espécie e/ou destino do animal devem ser apuradas com o Corpo de Bombeiros”.

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários