Tchau, Z4! Em jogo de duas expulsões, Cruzeiro vence o Vasco de virada e sobe na tabela

(Bruno Haddad/Cruzeiro)

A torcida cruzeirense vai dormir aliviada nesta noite de quinta-feira (24). O Cruzeiro saiu perdendo para o Vasco no Mineirão, mas mostrou poder de reação e virou o jogo ainda no primeiro tempo com dois gols de Matheus Barbosa. O clássico nacional, que reuniu 9 títulos continentais, marcou o centésimo duelo entre os clubes na história do futebol. Com a vitória, o time celeste pulou para a 11ª posição, com 7 pontos, e tenta a segunda vitória seguida contra o CSA neste domingo (27), em Alagoas.

Vasco na frente

O jogo começou animado. Aos 6, Felipe Augusto cabeceou livre depois de escanteio e a bola passou pertinho da trave. Apenas 2 minutos depois, o Vasco respondeu abrindo o placar: na confusão na área, a zaga celeste não conseguiu tirar a bola e ela sobrou para Morato. O chute desviou em Ramon e ficou ainda mais difícil para Fábio, que tocou nela, mas não conseguiu evitar o gol.

Reação rápida

Mas o Cruzeiro estava vivo no jogo e não ficou em desvantagem por muito tempo. Aos 14 do 1T, na cobrança de escanteio, Sobis desviou e Matheus Barbosa empurrou para as redes, deixando tudo igual no placar.

O gol deu outra cara ao jogo e o time mineiro adiantou a marcação e tentou passar mais tempo no campo de ataque. Aos 20, Marcinho chutou forte de fora da área e a bola passou com perigo.

Virada celeste

Na marca dos 27 do 1T, a estratégia deu certo: a defesa vascaína saiu jogando errado e o Cruzeiro tomou a bola. Depois, Felipe Augusto cruzou para Matheus Barbosa e o volante acertou um lindo chute de fora da área para fazer o segundo dele e do Cruzeiro no jogo. Esse foi o 6º gol dele com a camisa celeste: o artilheiro isolado do time na temporada.

Clima tenso

Aos 36 do 1T, o clima da partida fechou: Rômulo e Bruno Gomes se estranharam, o zagueiro celeste Paulo se meteu na briga e acabou se complicando. O árbitro não economizou e deu cartão vermelho direto para um de cada lado: Bruno do Vasco e Paulo do Cruzeiro. Essa foi a quarta expulsão do time celeste em seis jogos na Série B e a oitava na temporada.

Por pouco, o Vasco não empatou a partida aos 42 na bomba de fora da área soltada por Cano. A bola passou muito perto da trave, assustando Fábio.

Amornou

A segunda etapa começou menos intensa que a primeira, talvez porque ambas as equipes tinham 10 em campo. Na marca dos 20, Felipe Augusto cruzou e a bola era para Bruno José, mas a zaga do Gigante da Colina tirou na hora. Aos 24, o Vasco respondeu com o cruzamento de Léo Jabá que tocou em Fábio e passou por todo mundo. Apenas dois minutos depois, Juninho chutou uma bola venenosa de fora e o goleiro celeste mandou para escanteio.

Pressão

Nos minutos finais, o Vasco foi para o tudo ou nada e queria chegar a todo custo. Aos 45, Cano pegou a sobra na pequena área, girou e chutou para fora. Dois minutos depois, dentro dos 6 minutos de acréscimo, Fábio agarrou o chute de dentro da área. No último minuto, na cobrança de escanteio vascaína, a bola passou por todo mundo e por pouco, o jogador do time carioca não cabeceou para o gol. Fim de jogo: 2 a 1 para o Cruzeiro, de virada – e fora do Z4.

Edição: Roberth Costa
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários