Time feminino que jogou de shorts em vez de biquíni é multado em R$ 9 mil por ‘roupas impróprias’

equipe norueguesa de handebol
O valor foi decidido em uma comissão disciplinar que estabeleceu uma multa de 150 euros por jogadora (Reprodução/@copaalemdacopa/Twitter)

Por não estarem de biquíni em partida válida pelo Campeonato Europeu de Handebol de Praia, jogadoras do time feminino da Noruega foram penalizadas com uma multa de 1,5 mil euros – o equivalente a R$ 9,2 mil. Segundo a Federação Europeia de Handebol, os shorts usados pelas atletas no jogo contra a Espanha no último domingo (18) são “roupas impróprias”. O caso foi divulgado pela BBC.

O valor foi decidido em uma comissão disciplinar que estabeleceu uma multa de 150 euros por jogadora. Um informe divulgado pela federação europeia para notificar a penalidade diz que a equipe jogou usando trajes que “não estão de acordo com os regulamentos de uniformes de atletas definidos nas regras do jogo de handebol de praia da IHF (Federação Internacional de Handebol)”.

‘Anunciaram um basta’

A NHF (Federação de Handebol da Noruega) chegou a abordar a organização do campeonato pedindo permissão para o uso de shorts, mas foi informada de que não era permitido e que violações estariam sujeitas à multas. Ainda assim, a equipe norueguesa afirmou que pagaria o valor da punição e defendeu o uso da peça.

“Essa deveria ser uma escolha livre dentro de uma estrutura padronizada”, disse Kare Geir Lio, chefe da NHF, em entrevista à AFP. “O mais importante é ter equipamentos com os quais os atletas se sintam confortáveis”, acrescenta ela.

Após a decisão de multar as jogadoras, a NHF disse estar “muito orgulhosa dessas meninas que, durante o Campeonato Europeu, levantaram suas vozes e anunciaram um basta!”.

Penalidade revoltou autoridades

Pelo Twitter, o Ministro da Cultura e Esportes da Noruega, Abid Raja, se manifestou com revolta sobre a punição na última segunda-feira (19).

“Isso é completamente ridículo! Façam quantas mudanças de atitude forem necessárias na antiquada velhice internacional nos esportes (…) O pior é que eles simplesmente não entendem a igualdade de uma vez”, escreveu.

Eirik Sordahl, presidente da Federação Norueguesa de Vôlei, também criticou a penalidade em entrevista à agência de notícias NTB, da Noruega. “Em 2021, isso nem deveria ser um problema”, pontuou.

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários