UFMG receberá R$ 80 milhões dos governos federal e estadual para centro que testa vacina contra Covid

UFMG Reitoria
Segundo o secretário Marcelo Meirelles, acordo é importante para o país ter a soberania tecnológica na produção de vacinas (Foca Lisboa/UFMG)

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o governo estadual anunciaram o aporte de R$ 80 milhões para financiar a expansão do CTVacinas, instalado no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-Tec). Com isso, o Centro da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), onde é desenvolvido um imunizante contra a Covid-19, terá suas atividades ampliadas para se transformar em um polo nacional de desenvolvimento de imunizantes, fármacos e kits diagnósticos.

O CTVacinas realiza atualmente os testes clínicos para a Spintec, a possível nova vacina contra o novo coronavírus. O objetivo das parcerias firmadas é acelerar o desenvolvimento de vacinas, imunobiológicos e testes de diagnóstico para doenças humanas e veterinárias. Além da Covid-19, exemplos são câncer, malária, leishmaniose, doença de Chagas, e infecções virais epidêmicas e pandêmicas como zika, chikungunya, e dengue.

“Essas parcerias são fundamentais. Elas miram não apenas o combate a esta pandemia, mas principalmente o futuro de um país que ambiciona ser soberano na produção de vacinas, diagnósticos e medicamentos”, afirma a reitora da Universidade, Sandra Goulart Almeida. Segundo a reitora, esses recursos se somam a outros liberados por parlamentares estaduais e pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) direcionados especificamente para os testes da Spintec.

Para o governador Romeu Zema (Novo), o aporte coloca o estado na posição estratégica de combate e controle de doenças infecciosas que afetam a vida de milhões de mineiros. “Hoje, Minas Gerais assume o protagonismo na ciência e no desenvolvimento de pesquisa e produção de vacinas, uma vez que estamos estabelecendo infraestrutura inédita em instituições renomadas como UFMG e Funed, que poderão alavancar pesquisas científicas importantes”, afirma Zema.

Recursos serão destinados a estruturação de laboratórios de pesquisa e desenvolvimento (Gil Leonardi/Imprensa MG)

Os investimentos do estado, segundo o governo, são motivados pela necessidade de avançar as pesquisas na área de saúde para atendimento às demandas de mercado e aplicação de conhecimento científico para a geração de produtos com alto valor agregado destinados à solução de problemas em saúde pública. Com isso, o conhecimento gerado pela comunidade científica pode impactar a vida de todos os cidadãos mineiros.

Acordo

O acordo foi acertado em reuniões realizadas na semana passada, nos dias 13 e 14 de julho, quando a UFMG recebeu a visita do secretário-geral do governo estadual, Mateus Simões, e do subsecretário de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais, Felipe Attiê. O MCTI foi representado pelo secretário executivo adjunto, Carlos Alberto Flora Baptistucci, pelo secretário de Estruturas Financeiras e de Projetos, Marcelo Meirelles, e pelo diretor do Departamento de Estruturas para Viabilização Financeira e Projetos, Carlos Marques.

A parceria que une o MCTI, o governo de Minas e a UFMG começou a ser desenhada em fevereiro deste ano, quando a reitora Sandra, o pró-reitor de Pesquisa, Mario Montenegro Campos, a professora Ana Paula Fernandes, do CTVacinas, e o vice-governador Paulo Brant reuniram-se em Brasília com o ministro Marcos Pontes. 

Investimentos

Dos R$ 80 milhões aportados no CTVacinas, R$ 30 milhões serão liberados pelo governo de Minas, sendo R$18 milhões da SES-MG (Secretária Estadual de Saúde) e R$12 milhões disponibilizados pela Fapemig (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais). O valor será disponibilizados pelo estado após concretização do investimento de mais R$50 milhões pelo MCTI, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). 

A parceria com o Governo de Minas também prevê o compartilhamento de laboratórios e a cooperação em projetos de desenvolvimento entre a Funed (Fundação Ezequiel Dias) e a UFMG como contrapartida ao valor investido.

Investimentos na Funed

Além do investimento no CTVacinas, o Governo de Minas ainda vai disponibilizar R$28 milhões, por meio da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sede) e a Fapemig, exclusivamente para a Funed, com o objetivo de garantir adequações na Unidade V da Fundação. Com isso, será viabilizada a transição do desenvolvimento tecnológico para apoio ao desenvolvimento clínico, por meio da produção de lotes de vacinas para estudos clínicos, atendendo os requisitos regulatórios dos órgãos nacionais e internacionais.
 
Além da produção de lotes piloto de vacinas para estudos, a Funed também conseguirá atuar, a depender do projeto e da parceria, no desenvolvimento de formulação e preparo para registro do produto na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
 
Esse investimento viabilizará a implementação de uma das frentes de atuação propostas pela Fundação na produção de vacinas, que é a parceria com a UFMG no apoio ao desenvolvimento e posterior produção da vacina contra o novo coronavírus.

Com UFMG e Sede

Edição: Roberth Costa

Comentários