Home Notícias Minas Gerais Cartaz incita estupro e violência em república de São João del-Rei: ‘toda mulher gosta de sofrer’

Cartaz incita estupro e violência em república de São João del-Rei: ‘toda mulher gosta de sofrer’

Um cartaz polêmico foi alvo de críticas nos últimos dias nas redes sociais. O objeto estava colado na porta da república de estudantes “DaNação” e ditava “regras” da moradia, como uma espécie de manual. Porém, os dizeres faziam apologia ao estupro e incitavam a violência contra a mulher. O caso foi exposto pela página Spotted Feminista UFSJ e causou grande revolta.

No manual, diversas frases machistas. “Em caso de necessidade, prometa tudo a uma mulher. Elas adoram, acreditam e acabam cedendo”;  “Nunca se deve bater em uma mulher. Ela pode gostar”; “Não tenha escrúpulos, seja cafajeste: toda mulher gosta de sofrer”; “É vedada toda e qualquer recriminação aos moradores que embebedar uma mulher para pegá-la”; “Devido a ingrimidade do morro do Bonfim, favor dispensar o pudor! Nenhuma mulher sobe esse morro a toa…”. São 28 artigos no total, e a maioria são referentes às mulheres.

Reprodução/Facebook

O Diretório Central dos Estudantes da UFSJ se manifestou através de nota de repúdio. “O cartaz divulgado estimula um CRIME contra a dignidade sexual, previsto no artigo 215 do Decreto-Lei no 2.848 do Código Penal: ‘Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém, mediante fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima’. Cartazes como esses legitimam e perpetuam a violência de gênero, que mata mulheres todos os dias no Brasil e no mundo. Isso não é uma brincadeira, isso não é engraçado, isso é CRIME”, diz trecho da nota.

A república “DaNação” também se manifestou e afirmou que o cartaz será queimado. Além disso, pediram “desculpas a todas as mulheres que já frequentaram a casa e tiveram a desagradável experiência de ler o cartaz”. A publicação foi retirada do Spotted Feminista UFSJ a pedido dos estudantes, que estariam sendo ameaçados.

“REAFIRMAMOS que apesar dos “direitos e deveres” demonstrados no cartaz, sempre prezamos pelo respeito nestes 13 anos de República DaNação. NÃO CULPAREMOS a nossa geração pelo nosso erro. RECONHECEMOS o nosso erro e queimaremos aquele cartaz”, diz trecho da nota.

Comentários

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Jornalista e redator no Portal Bhaz

Carregar mais em Minas Gerais