Home Notícias Minas Gerais Após proibição do termo ‘helicoca’, internautas ironizam decisão de juíza

Após proibição do termo ‘helicoca’, internautas ironizam decisão de juíza

O termo “helicoca”, que ficou conhecido após a apreensão do helicóptero da família do senador mineiro Zezé Perrella (PMDB), em novembro de 2013, com 450 quilos de cocaína, está proibido de ser utilizado pelo portal de notícias “Diário do Centro do Mundo”, de Brasília. A decisão foi tomada pela magistrada Gabriela Jardon na última sexta-feira (25), em Brasília. Foi o bastante para que as redes sociais, os internautas manifestaram seu descontentamento com a decisão da juíza.

 

Apesar dos advogados de defesa do portal terem argumentado em sentido contrário, a juíza chegou ao seguinte veredito. “Ainda que a expressão ‘helicoca’ tenha se sagrado como de uso corriqueiro pela imprensa de uma maneira geral para se referir ao episódio da apreensão de droga no interior do helicóptero de propriedade do autor, a proibição de que a mesma não seja, por ora, mais utilizada nas publicações de autoria dos requeridos é perfeitamente executável”, diz.

Apesar de sair vitorioso nessa batalha, o senador desejou até mesmo retirar de vez o termo de circulação. Por isso, em outra ação judicial, ele pediu a retirada de todo conteúdo difamatório que associe seu nome às palavras ‘helicoca’, helicóptero ou cocaína do sitea exclusão, no buscador Google, de todas as notícias que associem seu nome às mesmas palavras e a retirada de todos os vídeos da plataforma Youtube.

Porém, desta vez ele não obteve sucesso e o pedido foi negado pelo juiz Cleber de Andrade Pinto. De acordo com o magistrado, “a divulgação de informações acerca do homem público permite que a sociedade tenha ciência do caráter e das características deste, sendo importante instrumento de controle da atividade pública por ele exercida”, afirmou ele.

Comentários

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Jornalista no Portal Bhaz

Carregar mais em Minas Gerais