Home Notícias Minas Gerais Governo de Minas cria Companhia para prevenir crimes domésticos

Governo de Minas cria Companhia para prevenir crimes domésticos

Será criada em Belo Horizonte a 1ª Companhia de Prevenção à Violência Doméstica contra as Mulheres. O anúncio foi feito pelo governador Fernando Pimentel (PT) durante o seminário que trata justamente desse tipo de violência, na última quarta-feira (6). Minas Gerais é o segundo estado a implementar a unidade específica.

O objetivo da instalação da Companhia é potencializar a prevenção à violência doméstica na capital. Com isso pretende-se aumentar a sensação de segurança por parte das vítimas e consolidar mecanismos de controle e gestão social. A partir do fortalecimento das redes e da integração dos diversos órgãos de segurança pública do Estado, será expandindo e modernizado a atuação comunitária, preventiva e de preservação da ordem pública por parte da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

Para o governador Fernando Pimentel, com a criação da companhia o estado renova o compromisso com a segurança pública na área mais sensível, que é a violência doméstica. “A violência doméstica se oculta dentro do lar e gera uma série de outras consequências. Ela é silenciosa e impacta a família. Não só a mulher, mas os filhos, os parentes, os vizinhos e os amigos”, afirmou o governador.

A criação da unidade reforça a política de prevenção que já atua com a Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica (PPVD). O serviço é voltado para o acompanhamento sistemático da violência doméstica e familiar contra a mulher, prestando serviço de proteção à vítima real ou potencial, com a missão de desestimular ações criminosas no ambiente domiciliar.

Em 2015, a Polícia Militar regulamentou a atuação da PPVD, criada em 2010. As patrulhas estão presentes em 23 municípios mineiros e, somente neste ano, já realizaram cerca de 6,9 mil visitas, acompanhamento de cerca de 2,1 mil casos com Medidas Protetivas de Urgência (MPU), 472 eventos e a prisão de 37 pessoas em decorrência do descumprimento dessas medidas.

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Helbert Figueiró de Lourdes, a unificação da ação policial irá trazer maior capacidade de resposta e eficiência no trabalho.  “A unificação possibilitará uma articulação mais qualificada com os demais órgãos que cuidam dessa temática: Poder Judiciário, Ministério Público, Delegacia de Mulheres”, afirmou.

Da Agência Minas

Comentários

Carregar mais em Minas Gerais