Home Notícias Minas Gerais Médico viaja 1,4 mil km para levar doações e ajudar vítimas de Janaúba

Médico viaja 1,4 mil km para levar doações e ajudar vítimas de Janaúba

O médico e enfermeiro estomaterapeuta Evandro Reis viajou mais de 1,4 mil quilômetros de São Paulo (SP) a Montes Claros (MG) para auxiliar no atendimento às vítimas da tragédia de Janaúba. O profissional saiu na tarde dessa sexta-feira (6) e chegou nesse sábado (7) pela manhã à Santa Casa de Montes Claros. Ao todo, são cerca de R$ 250 mil em materiais doados.

Ele deixou alguns materiais doados e saiu com sua equipe para BH. Uma viagem de mais de 400 quilômetros, rumo ao Hospital João XXIII, para onde foi transferida a maior parte das crianças. Evandro deve entregar os materiais na manhã deste domingo (8).

Evandro conseguiu encher a van de sua clínica com milhares de materiais doados por fornecedores de equipamentos para tratamento de feridas e queimados e está dividindo a direção do veículo com o técnico de enfermagem Paulo Pedroso.

“Trouxemos no bagageiro mais de R$ 250 mil em materiais de excelente qualidade como coberturas e curativos especiais que podem salvar vidas e reduzir sofrimentos. Faremos de tudo para usar nossa experiência e conhecimento para contribuir”, afirma o médico, que é natural de Governador Valadares (MG) e atua em São Paulo.

“Só quem tem filho pequeno sabe como esse tipo de tragédia mexe com a gente. E foi pensando neles que unimos forças para mobilizar todas essas pessoas e empresas para poder ajudar”, comenta o médico.

Evandro Reis dá cursos há mais de 15 anos para tratamento de feridas e é diretor da clínica Doutor Feridas, com sede na capital paulista e mais de 10 franquias espalhadas pelo País.

Desde ontem, o médico está postando em seu instagram (@doutorferidas) e no Facebook a jornada a Montes Claros e as doações recolhidas no meio do caminho.

De acordo com Evandro Reis, após a primeira avaliação do cenário, será tomada uma decisão no sentido de pedir novas doações. “Nossa maior preocupação é que as doações cheguem a quem precise e que sejam materiais que atendam esse tipo de paciente, que é muito peculiar e delicado. Portanto, as doações precisam ser muito bem organizados. Do contrário, não surtirão o efeito desejado”, completa Evandro.

Comentários

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Jornalista e redator no Portal Bhaz

Carregar mais em Minas Gerais