Home Veículos Acelera aí [Acelera aí] Grade dianteira com controle ativo: por entre as gretas da aerodinâmica

[Acelera aí] Grade dianteira com controle ativo: por entre as gretas da aerodinâmica

Que bicho é esse? Trata-se de uma solução bem interessante que a Ford adotou no novo Ecosport e que mostra como a aerodinâmica tem um papel fundamental no desempenho de um automóvel. Ela ajuda principalmente na redução do consumo de combustível e do nível de ruídos dentro do habitáculo.

A nova geração do utilitário-esportivo traz uma grade dianteira com controle ativo, que fecha ou abre automaticamente as aletas com o objetivo de melhorar a aerodinâmica e, com isso, reduzir o consumo de combustível.  Por meio de um sistema eletromecânico, o sistema abre e fecha as aletas levando em conta três parâmetros: a velocidade do veículo, a temperatura da água de arrefecimento do motor e a temperatura dentro do carro.

(Divulgação/Ford)

Na partida, a grade permanece fechada para diminuir o tempo de aquecimento do motor. quando o motor atinge a temperatura ideal, a passagem de ar é aberta para a sua refrigeração. Em alta velocidade, a grade volta a se fechar para reduzir a turbulência de ar e o arrasto aerodinâmico. ou seja, a grade com controle ativo faz com que o fluxo de ar em alta velocidade tenha um melhor escoamento, subindo e passando por cima da carroceria sem turbulência, diminuindo a resistência.

E a redução dessa resistência está diretamente ligada à economia de combustível. Por isso, atualmente, as montadoras investem bastante no desenvovimento de modelos com linhas mais aerodinâmicas, passando horas e mais horas em túneis de vento. Além da carroceria, esse desenvolvimento inclui detalhes que não podem ser desprezados, desde um retrovisor externo a uma simples antena, passando por limpadores de para-brisa. Para se ter uma ideia dessa influência, dependendo do seu desenho, um retrovisor pode aumentar em até vinte por cento o consumo de combustível.

No caso do novo Ecosport, a Ford disse que o seu projeto consumiu um milhão de horas de fluidodinâmica computacional, que é uma disciplina que trata da simulação numérica de escoamentos de fluidos, e 260 horas de desenvolvimento em túnel de vento.

Comentários

Acelera Ai

Acelera Ai

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Carregar mais em Acelera aí