Vídeo flagra padrasto jogando menina de 3 anos em piscina; criança morreu afogada

Reprodução/YouTube

Um mexicano foi condenado a 100 anos de prisão, nesta semana, após ser flagrado jogando uma criança de três anos em uma piscina repetidamente, até a morte, na cidade de Morelia, em Michoacan. A ação do homem, que era padrasto da menina, foi flagrada pelo circuito interno de câmeras do hotel em que eles estavam.

De acordo com o jornal Mirror, a garota não sabia nadar e a mãe dela estava dormindo no quarto do hotel no momento do crime. Nas imagens que têm circulado pelas redes sociais, é possível ver que a criança luta para tentar sobreviver enquanto o padrasto apenas a observa se afogar.

Antes de a filmagem ser divulgada, o suspeito deu declarações fingindo estar surpreso com o afogamento da criança. Um dos juízes responsáveis pela condenação do homem revelou que ele chegou a puxar a enteada pelos cabelos e a segurou embaixo d’água para que não conseguisse respirar.

Requintes de crueldade

O vídeo mostra como o padrasto da criança foi cruel em suas ações. Em um dos momentos, ele segura a garota debaixo da água. Outras pessoas são vistas em volta, porém parecem não notar a ação, ou preferem não intervir.

Em seguida, o homem deixa a criança sozinha dentro da água, até que ele retorna para retirá-la da piscina. Mas, logo em seguida, ele lança a garota novamente dentro da água, enquanto ela se debate desesperadamente tentando não afundar.

Em um dos momentos mais cruéis, o padrasto chega a lançar uma boia na direção da criança desesperada. Porém, a menina, já exausta, não alcança a boia e o homem não faz nada para ajudá-la.

A defesa do homem ainda tentou sugerir que a criança teria morrido do lado de fora da piscina. No entanto, essa versão foi contestada pela filmagem.

Roberth Costa
Roberth Costaroberth.costa@bhaz.com.br

Editor do BHAZ desde junho de 2018 e repórter desde 2014. Participou do processo de criação do portal em 2012. É formado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Promove. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2018 e 2019, além figurar entre os finalistas do prêmio Sindibel, também em 2019.