Home Notícias Internacional Pelas redes sociais, noruegueses esnobam Donald Trump

Pelas redes sociais, noruegueses esnobam Donald Trump

As declarações do presidente norte-americano Donald Trump de que preferiria ver os Estados Unidos recebendo imigrantes de países como a Noruega, em vez daqueles vindos do Haiti, El Salvador e países africanos  – por ele definidos como “países de merda” – continuam repercutindo mal no mundo. Desta vez, foram os próprios noruegueses quem criticaram o presidente americano.

Pelas redes sociais, eles esnobaram Trump. “Eu moro na Noruega e nunca me mudaria para o Estados Unidos. Nós temos sistema de saúde, educação superior gratuita, cinco semanas de férias e oito horas de trabalho diárias. Não, Trump, obrigado”, comentou uma usuária do Twitter, em uma mensagem compartilhada centenas de vezes e que foi divulgada pelo site de notícias britânico BBC.

Alex Nowrasteh, analista de políticas de imigração que atua em Washington, publicou dados apontando que, entre 1850 e 1913, os imigrantes noruegueses se mostraram entre os mais malsucedidos nos EUA, se analisadas as rendas obtidas no país pela primeira e segunda gerações de europeus que migraram para os EUA. “Os imigrantes noruegueses se deram tão mal nos Estados Unidos que 70% deles voltaram e ficaram na Noruega”, afirmou Alex.

Modelo em atenção social

A Noruega é uma país nórdico 5 milhões de habitantes considerado modelo em atenção social, cujos pilares são a saúde universal, o ensino superior subsidiado e um regime abrangente de previdência social. A Noruega foi classificada como o país mais desenvolvido do mundo em todos os relatórios de desenvolvimento humano desde 2001 (com dados referentes ao período entre 1999 e 2010)Em 2009, o país foi novamente classificado pela ONU como o melhor país do mundo para se viver.

A Noruega também foi avaliada como o país mais pacífico do mundo em uma pesquisa realizada em 2007 pelo Índice Global da Paz. E em 2017, um estudo feito por peritos internacionais com o apoio da ONU, classificou a Noruega como o país mais feliz do mundo, superando a Dinamarca, que liderou o ranking no ano anterior.

Repúdio dos países africanos

Os embaixadores de 54 países africanos na ONU exigem do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma desculpa pelos comentários “racistas” que expressou na quinta-feira (11), quando supostamente usou a expressão “países de merda” para se referir a Haiti, El Salvador e vários países africanos.

Após uma reunião de urgência na noite desta sexta-feira (12), eles emitiram um comunicado, em que dizem se sentir “extremadamente consternados” pelas palavras de Trump.

Pelo Twitter, o presidente americano tentou desfazer o mal-estar, dizendo que pretende ter uma boa relação com os haitianos. Para evitar a repetição do problema, ele disse que pretende gravar os próximos encontros.

 

Marcelo

Marcelo

Marcelo Freitas é redador-chefe do Bhaz

Comentários