Home Notícias Minas Gerais Alerta: Possível movimentação de estrutura de barragem leva apreensão a Barão de Cocais

Alerta: Possível movimentação de estrutura de barragem leva apreensão a Barão de Cocais

A Defesa Civil de Minas Gerais, em reunião no fim da tarde desta terça-feira (14), emitiu um alerta a respeito de uma possível movimentação na talude da cava da mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, região Central de Minas. De acordo com o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador ajunto da Defesa Civil, o local fica antes da barragem da Vale Sul Superior e uma equipe está na cidade.

A reunião foi entre a Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros Militar, Policia Militar, Vale, representantes das comunidades evacuadas (Socorro, Piteiras, Tabuleiro e Gongo) Defesa Civil Municipal, Representantes dos ribeirinhos e demais autoridades do Município.

O tema da reunião foi relatar à comunidade, por meio de seus representantes, uma nova situação, que vem sendo monitorada a alguns dias e demonstrou uma significativa alteração. Até o momento, o nível da barragem ainda é o 3, não havendo nenhuma modificação nesse quadro.

O talude (parede) da cava, que encontra-se atrás da barragem, demonstrou uma movimentação, o que indica uma possível queda de uma rocha no interior da cava. Segundo os técnicos, não se pode precisar o tamanho exato da rocha, tão pouco quando pode acontecer.

De acordo com a Defesa Civil, ainda não é possível saber se essa movimentação pode ocasionar o rompimento e, de alguma forma, afetar a barragem. Segundo o órgão, a cava é um espaço aberto e grande, na qual os rejeitos cairiam para se misturar ao meio-ambiente.

“Essa movimentação é preocupante pois, o abalo causado com a queda dessa rocha, ocasionara um pequeno tremor, podendo desencadear o rompimento da barragem. Não há motivo para pânico, porém precisamos nos manter alertas”, explica o líder comunitário Maxwell Andrade.

Na madrugada do dia 8 de fevereiro, 443 pessoas nas comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras, todas situadas em Barão de Cocais, foram evacuadas. Atualmente, estão em hotéis, casas de parentes ou locais alugados pela Vale.

Procurada pelo BHAZ, a Vale ainda não se manifestou. A matéria será atualizada assim que houver um posicionamento.

Comentários