Home Notícias BH Bienal do Livro de Contagem é liberada após impasse e suspeita de censura

Bienal do Livro de Contagem é liberada após impasse e suspeita de censura

Em meio a impasses, embargos e suspeitas de censura, a terceira edição da Bienal do Livro de Contagem foi impedida de funcionar durante maior parte desta sexta-feira (8), na região metropolitana da capital.

O Corpo de Bombeiros interditou a feira pela manhã, antes mesmo da abertura do evento, alegando que irregularidades foram encontradas nas instalações do evento e que elas poderiam oferecer risco ao público.

Já os organizadores afirmam que adotaram as medidas exigidas pelos bombeiros e que a interdição durante maior parte do dia pode estar ligada à censura, já que os problemas foram identificados após a divulgação das atrações do evento.

“Não sabemos os motivos. Coincidência ou não, isso tudo ocorreu após divulgarmos amplamente a programação e os projetos da Bienal, uma programação com 80% de atrações negras e uma equipe com 26 pessoas transexuais, travestis e transgênero”, disse a organização do evento em comunicado (confira na íntegra abaixo).

A bienal começaria na manhã desta sexta, na Praça Da Jabuticaba, na avenida Prefeito Gil Diniz, em Contagem. Contudo, após vistoria realizada pelos bombeiros, os militares entenderam que a realidade do local não estava compatível.

“Inicialmente, os dados técnicos informados pelos organizadores enquadravam o evento em uma classificação de risco mínimo, o que isenta o mesmo de envio de projeto técnico ao CBMMG (Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais). Porém, conforme constatado pela equipe de vistoria, a estrutura do evento se apresentava com uma classificação de risco superior e que exige a implementação de medidas de segurança contra incêndio e pânico para adequá-la à legislação vigente”, disse o Corpo de Bombeiros em nota (confira na íntegra abaixo).

A feira chegou a ficar suspensa até às 16h30, quando a organização emitiu uma nova nota afirmando que os problemas haviam sido resolvidos. “Infelizmente Contagem perdeu um dia inteiro de grandes conversas e possibilidades incríveis de crescimento e enriquecimento cultural, perdemos a chance de conversar com um dos maiores escritores do Brasil”, comentou o escritor e professor Daniel Munduruku.

A organização garante ainda que as atividades serão retomadas imediatamente nesta sexta e ao longo do fim de semana, até o domingo (10), data prevista para o fim do evento.

“Voltaremos hoje, agora, 8 de novembro, com Anielle Franco e Márcia Maria Cruz. Logo após temos Miriam Leitão e Sérgio Abranches. Abrimos o espaço e o acesso ao auditório principal é livre. Venham. No início da noite, Afoxé Bandarerê na escadaria da igreja anunciando a chegada de Conceição Evaristo – nossa rainha chegou e vai ficar. Vai ter Bienal”, diz a nota.

A Prefeitura de Contagem disse que se “orgulha pela cidade sediar a III Bienal do Livro, evento de reconhecida relevância que reunirá renomados especialistas em literatura e representantes do cinema e da música”, disse.

Notas da Bienal do Livro de Contagem

Nota 1

“Nota da Curadoria e Organização

A III Bienal do Livro de Contagem vem sendo construída há pouco mais de 1 ano. Um projeto detalhado e cuidadoso, como podem perceber.

Este é um evento privado e que conta com o apoio da Prefeitura do Município de Contagem.

O curador do evento foi convocado há 1 semana e meia para uma reunião emergencial de COMOVEEC com toda a equipe que compõe esta comissão. A reunião, organizada pela Prefeitura Municipal de Contagem, não teve nenhum membro do Corpo de Bombeiros convidado. Durante a reunião, foram solicitados algumas informações como a programação, fluxo de pessoas, atividades e estrutura.

Após apresentação, a estrutura e organização foi parabenizada pela equipe presente.

Três dias antes da Bienal deu-se início a uma série de episódios que transformaram o evento cultural em mais um dos eventos culturais brasileiros que podem não acontecer.

O Corpo de Bombeiros solicitou uma série de modificações no espaço poucos dias antes das atividades darem início, sob justificativa de informação tardia do evento, ainda que a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude soubesse do evento desde FEVEREIRO/2019.

Nós refizemos a estrutura e, junto à Prefeitura de Contagem, combinamos o que seria feito por nós e o que seria feito por eles. Nós cumprimos com todas as modificações que o Corpo de Bombeiros solicitou, porém a prefeitura, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura e Juventude não.

Hoje o evento começou com uma nova visita dos bombeiros que interditou o evento a partir de uma justificativa de que as mudanças não foram realizadas – mudanças essas de responsabilidade da Prefeitura.

Não sabemos os motivos. Coincidência ou não, isso tudo ocorreu após divulgarmos amplamente a programação e os projetos da Bienal, uma programação com 80% de atrações negras e uma equipe com 26 pessoas transexuais, travestis e transgênero.

Estamos aguardando o posicionamento da Prefeitura e Secretaria e, tenso do que possa acontecer, afirmo que tentaremos resolver da melhor maneira possível.

A Bienal do Livro de Contagem está, por enquanto, interditada e estamos trabalhando para reverter a situação.

Rafael Mansur

Curador e Idealizador da Bienal do Livro de Contagem.”

Nota 2

“Resolvemos.

Após as determinações de mudanças propostas pelo corpo de bombeiros, decidi interromper as atividades previstas para o dia 8 de novembro de 2019 até uma nova reorganização e novas estratégias traçadas.

Infelizmente Contagem perdeu um dia inteiro de grandes conversas e possibilidades incríveis de crescimento e enriquecimento cultural, perdemos a chance de conversar com um dos maiores escritores do Brasil, Daniel Munduruku.

Perdemos a chance de nos conectar com grandes escritores nacionais que estão crescendo no mercado literário. Perdemos a chance de nos tornarmos melhores.

Perdemos mais uma chance.

Perdemos uma chance, temos milhares para poder aproveitar.

Voltaremos hoje, agora, 8 de novembro, com Anielle Franco e Márcia Maria Cruz. Logo após temos Miriam Leitão e Sérgio Abranches.

Abrimos o espaço e o acesso ao auditório principal é livre. Venham.

No início da noite, Afoxé Bandarerê na escadaria da igreja anunciando a chegada de Conceição Evaristo – nossa rainha chegou e vai ficar. Vai ter Bienal.

Venham, consumam. A melhor forma de nos ajudar agora é consumindo alimentação, livros e cultura. Demos a volta por cima e precisamos pagar as contas. Comprem dos independentes, lanchem aqui, venham à praça. A praça da Jabuticaba, neste final de semana, é da Bienal.

Amanhã começamos com “Parem de nos matar”. Aguardamos vocês às 09:00 no sábado e hoje às 17:00. Até breve.

Rafael Mansur.”

Nota dos Bombeiros

“Hoje (08/11), em vistoria realizada na Bienal do Livro de Contagem, a equipe do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) constatou que as informações técnicas sobre o evento, enviadas pelos organizadores à Corporação, e a realidade do local não estavam compatíveis.

Inicialmente, os dados técnicos informados pelos organizadores enquadravam o evento em uma classificação de risco mínimo, o que isenta o mesmo de envio de projeto técnico ao CBMMG. Porém, conforme constatado pela equipe de vistoria, a estrutura do evento se apresentava com uma classificação de risco superior e que exige a implementação de medidas de segurança contra incêndio e pânico para adequá-la à legislação vigente.

As irregularidades encontradas, que representavam risco iminente ao público do evento, foram a ausência de sinalização e iluminação de emergência e de ambulância com desfibrilador no local. Além disso, algumas saídas de emergências não estavam estruturadas de acordo com as normas.

O CBMMG comunicou aos organizadores as irregularidades encontradas e, caso elas sejam sanadas, será analisada a possibilidade de reversão da interdição do evento.

O Corpo de Bombeiros ressalta a importância dos organizadores de eventos estarem atentos às normas de segurança contra incêndio e pânico com objetivo de garantir a segurança de todos os envolvidos nas atividades.

Assessoria de Comunicação”.

Nota da Prefeitura de Contagem

“A Prefeitura de Contagem se orgulha pela cidade sediar a III Bienal do Livro, evento de reconhecida relevância que reunirá renomados especialistas em literatura e representantes do cinema e da música.

A Prefeitura atendeu todas as medidas necessárias para a realização do evento, tais como:

– Liberação da praça da Jabuticaba;

– Instalação de banheiros químicos;

– Medidas estruturais, como instalação de um corrimão no local do evento;

– Presença de uma ambulância e profissionais de saúde;

– Atuação da Guarda Civil para garantia da segurança pública;

– Limpeza do espaço.

A Prefeitura de Contagem esclarece que na última quarta-feira, 6 de novembro de 2019, o Corpo de Bombeiros também solicitou série de providências à organização do evento, que não foram atendidas.

A Prefeitura de Contagem segue à disposição dos organizadores da III Bienal do Livro.”

Comentários