Home Notícias Internacional Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia

Evo Morales renuncia ao cargo de presidente da Bolívia

Evo Morales renunciou ao cargo de presidente da Bolívia neste domingo (10). O vice, Álvaro García Linera, também já informou que vai deixar o posto.

Morales enfrenta manifestações desde o dia 21 de outubro, após as eleições gerais do país. Com uma apuração confusa e suspeitas de fraude eleitoral, ele conquistou, em primeiro turno, seu quarto mandato consecutivo. “Eu decidi, escutando meus companheiros, renunciar ao meu cargo da presidência”, disse Evo em pronunciamento.

Em publicação, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou a queda de Evo no país vizinho. “Denúncias de fraudes nas eleições culminaram na renúncia do Presidente Evo Morales. A lição que fica para nós é a necessidade, em nome da democracia e transparência, contagem de votos que possam ser auditados”, disse.

Eleição polêmica

As eleições presidenciais bolivianas ocorreram em 20 de outubro. Morales obteve 47,07% dos votos, enquanto seu principal concorrente, Carlos Mesa, alcançou a 36,51%. Pelas regras eleitorais bolivianas, Morales foi declarado eleito, por ter obtido mais de 10% dos votos além de Mesa.

A apuração, no entanto, foi acompanhada por polêmica, com acusações de ambos os lados. Uma comissão de observação da Organização dos Estados Americanos (OEA) apontou problemas como a falta de segurança no armazenamento das urnas e a suspensão da contagem dos votos. Já na ocasião, o coordenador do Departamento de Observação Eleitoral, Gerardo de Icaza, disse que a credibilidade da Justiça Eleitoral no país estaria em dúvida e, por isso, mesmo que alcançada a diferença de 10%, deveria ser assegurado o segundo turno.

Diante da polêmica, Morales e líderes oposicionistas sugeriram que a OEA auditasse o resultado das eleições – e Morales convidou países como Colômbia, Argentina, Brasil e Estados Unidos a participarem do processo. Desde então, os protestos populares se acirraram, com oposicionistas chegando a estabelecer um prazo para que o presidente deixasse o cargo.

Protestos

Segundo a imprensa boliviana, nas últimas horas, houve ataques a residências, incluindo de familiares de Morales, e a prédios públicos. No Twitter, o presidente denunciou que “fascistas” incendiaram a casa dos governadores de Chuquisaca e Oruro, e também de sua irmã, Esther Morales. Emissoras de rádio e TV estatais, como a Bolívia TV, foram alvo de protestos.

Com Agência Brasil

Comentários