Home NotíciasMinas GeraisAno letivo começa com greve de professores por tempo indeterminado em Minas

Ano letivo começa com greve de professores por tempo indeterminado em Minas

Ano letivo começa sem aulas

Os professores da rede estadual de Minas Gerais estão de greve por tempo indeterminado a partir desta terça-feira (11). A informação foi repassada ao BHAZ pelo Sind-UTE/MG (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais).

A decisão foi tomada pelos trabalhadores em uma reunião realizada no último dia 5 de fevereiro, no pátio da Assembleia Legislativa, no bairro Santo Agostinho, na região Centro-Sul da capital. A Secretaria de Estado de Educação (SEE) informou que tem mantido diálogo com a categoria.

Conforme o Sind-UTE/MG, a categoria reivindica o pagamento do Piso Salarial Profissional Nacional, a defesa do emprego e “do direito a uma educação pública de qualidade social”.

O sindicato, porém, não sabe informar quantas escolas e educadores aderiram ao movimento.

Professores decidem por greve em assembleia (Ísis Medeiros/Sind-UTE)

Próximos passos

Os professores vão se reunir novamente na sexta-feira (14) para discutir o rumo do movimento. Veja algumas ações que foram feitas pela categoria e os próximos eventos marcados:

  • 6 e 7/2: rodas de conversa sobre a conjuntura enfrentada pela educação mineira e visitas às escolas;
  • 10/2: conversas com pais e estudantes nas escolas.
  • 11/2: início da greve por tempo indeterminado.
  • 12 e 13/2: mobilização nas escolas e realização de assembleias locais e regionais.
  • 14/2: realização de Assembleia Estadual.

O que diz o governo?

“A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) respeita o direito constitucional de greve dos servidores da Educação do Estado e reitera que tem mantido um diálogo franco e aberto com representantes sindicais. Várias agendas foram realizadas, ao longo de 2019, com os representantes das entidades sindicais e do Governo do Estado nas quais assuntos da área da educação foram debatidos. A SEE/MG reforça que os canais de diálogos continuarão abertos para que as reivindicações da categoria possam ser apresentadas e debatidas. 

A SEE/MG acompanhará, ao longo do dia, a adesão das unidades escolares da rede à paralisação das atividades convocada pelo sindicato que representa a categoria da educação. O balanço com os números da paralisação será possível no fim da tarde. 

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) informa, também, que vem recebendo e dialogando com representantes dos sindicatos de todas as categorias. Até o momento, 70% dos servidores da Educação receberam o 13° salário integral. Para concluir o pagamento e pôr fim ao parcelamento de salários por seis meses, o Governo do Estado conta com a operação financeira do nióbio.

A Seplag informa ainda que a remuneração inicial na rede estadual é de R$ 2.135,64 para a carga horária vigente de 24 horas semanais. Considerando a proporcionalidade sobre o valor do vencimento básico, equivale a R$ 3.304,23 para uma jornada de 40 horas, atendendo à legislação nacional”.

Comentários