Home NotíciasEsportesKalil reclama de falha de segurança no Galo na Veia: ‘Estes caras enlouqueceram?’

Kalil reclama de falha de segurança no Galo na Veia: ‘Estes caras enlouqueceram?’

kalil galo na veia

O novo programa de sócio-torcedor do Atlético, o “Galo na Veia Série A”, foi lançado na terça-feira (10) e falhas no sistema já estão sendo identificadas pelos torcedores. Desta vez, um erro que compromete a segurança dos dados dos sócios irritou até o prefeito de Belo Horizonte e ex-presidente do Galo, Alexandre Kalil.

Uma falha que permitia que um usuário acessasse a conta do Galo na Veia de outros sócios por meio do CPF, sem a senha do torcedor, foi identificada por um atleticano. “Houve falha de tudo, inclusive segurança da informação. Faça o teste: digite o CPF de alguém que tenha GNV com qualquer senha e entrará. Acabei de entrar no GNV do Kalil. Tenho prints. Isso é profissionalismo?”, escreveu ele no Twitter

Em resposta, Kalil citou a postagem e mostrou descontentamento com a diretoria atual do Atlético, expondo mais um desentendimento com os gestores: “Estes caras enlouqueceram??? Se não sabem, não inventem e não nos exponham desta forma!”.

Uma semana antes, Felipe Kalil, filho do prefeito e ex-dirigente, pediu demissão do Atlético, onde trabalhava como médico. Segundo o jornal O Tempo, o médico tomou a decisão após descobrir que Ricardo Guimarães, dono do banco BMG, teria pedido que ele fosse demitido do clube. Em contato com o BHAZ, a assessoria do Atlético afirmou que não tem um posicionamento sobre o tuíte de Kalil, por se tratar de um assunto pessoal.

O responsável pelo Galo na Veia, Américo Rincón, reconheceu a falha no sistema do site e afirmou que ela foi rapidamente corrigida. O site ficou fora do ar por algumas horas, como apontaram alguns torcedores no Twitter, e voltou da manutenção sem a falha.

“Tão logo foi identificado o erro, o site foi colocado em manutenção. O sistema é novo, temos várias integrações e, em uma delas, houve uma falha que gerou uma inconsistência nesse campo. Foi um problema interno e, como todas as integrações são monitoradas, assim que percebemos a falha ela foi tratada”, explica Rincón ao BHAZ.

Apesar do erro ter possibilitado o acesso a dados cadastrais do dono da conta, como endereço e data de nascimento, o responsável pelo GNV garantiu que informações mais comprometedoras não podiam ser acessadas.

“Não houve tentativa de invasão, extração de dados, nada. Informações como dados do cartão de crédito não podiam ser obtidas com a falha, não tinha como acessar essa parte. Não foram colocados em perigo dados importantes como este”, completou Ramón.

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários