Home NotíciasBrasilApós ir a manifestação, Bolsonaro diz que cancelar jogos de futebol é ‘histerismo’

Após ir a manifestação, Bolsonaro diz que cancelar jogos de futebol é ‘histerismo’

bolsonaro futebol histerismo

Depois de descumprir as recomendações de monitoramento do Ministério da Saúde devido ao novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou que considera o cancelamento das partidas de futebol no Brasil, diante de uma pandemia, uma medida que “contribui para o histerismo”.

Em entrevista à CNN, na estreia do canal no Brasil, Bolsonaro disse que considera exagerada a reação de prevenção ao vírus que se espalha pelo mundo. “Devemos respeitar, tomar as medidas sanitárias cabíveis, mas não podemos entrar numa neurose, como se fosse o fim do mundo”, declarou o presidente.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação Mineira de Futebol (FMF) anunciaram, no domingo (15), a suspensão dos torneios nacionais e estaduais de futebol devido à ameaça de aumento de casos do novo coronavírus no Brasil.

+ Efeito coronavírus: Mineiro e torneios da CBF são suspensos e Globo muda grade

“Quando você proíbe jogo de futebol, entre outras coisas, está partindo para um histerismo. Poderiam vender um percentual de ingressos levando em conta a quantidade de pessoas que comportam as arquibancadas. E não partir para simplesmente proibir isso e aquilo, porque não vai, no meu entender, conter a expansão dessa forma”, disse Bolsonaro sobre a medida.

Para o presidente, há interesse econômico e político por trás da pandemia. “Tivemos vírus muito mais graves que não provocaram essa histeria. Certamente tem um interesse econômico nisso. Em 2009 teve um vírus também e não chegou nem perto disso. Mas era o PT no governo aqui e os democratas nos Estados Unidos”, completou ele.

Presidente contraria recomendações

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro esteve na Flórida, nos Estados Unidos, com uma comitiva. No grupo que o acompanhou, onze brasileiros tiveram resultado positivo para o teste de coronavírus, segundo o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Apesar do teste de Bolsonaro ter descartado a contaminação pelo vírus, o Ministério da Saúde pediu que seja realizado um novo exame e recomendou que o presidente permanecesse em monitoramento, sem ter contato com aglomerações.

Contrariando as recomendações, Jair Bolsonaro marcou presença em uma das manifestações a favor do governo, realizada em Brasília nesse domingo (15). O presidente deixou o Palácio da Alvorada e apertou a mão de apoiadores.

+ De máscaras, apoiadores de Bolsonaro saem em BH contra Congresso: ‘Brasil é maior que o coronavírus’

O Ministério da Saúde atualizou no domingo o número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) no país. Conforme a atualização dos dados, até o momento, há 200 casos em todo o país.

De acordo com levantamento diário feito pela pasta, 1.917 pessoas em 26 estados e no Distrito Federal são monitoradas por suspeitas de estarem infectadas. Nenhuma morte foi registrada no Brasil desde o início da transmissão da doença.

Para prevenir o Covid-19 o Ministério da Saúde afirma que as medidas gerais são o reforço da etiqueta respiratória, a prática de higiene frequente e a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência, além do isolamento domiciliar ou hospitalar de pessoas com sintomas da doença.

Com Agência Brasil

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários