Covid-19: Morar próximo a grandes avenidas aumenta chance de infecção

avenida contorno
Pessoas que vivem perto de grandes avenidas ou do metrô estão mais propensas a contrair a Covid-19 ou SRAG (Amanda Dias/BHAZ)

Pessoas que vivem perto de grandes avenidas ou do metrô estão mais propensas a contrair a Covid-19 ou SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), de acordo com estudo realizado pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Os dados são da segunda edição do “InfoCovid”, feito pelo Observatório de Saúde Urbana de Belo Horizonte (OSUBH), da Faculdade de Medicina da universidade.

A nova edição do exemplar (leia o estudo completo aqui) revela “maior frequência de casos de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) nos limites intermunicipais, destacando para um potencial risco advindo de cidades vizinhas”. Com isso, pessoas que vivem perto de fronteiras de cidades da Grande BH, correm um risco maior que as outras.

Outro ponto importante do estudo é “uma possível associação do maior número de casos na área central em locais contendo sobreposição das principais malhas viárias do município e, consequentemente, maior fluxo de pessoas”. Dessa forma, as grandes avenidas ou ruas, além do metrô, oferecem também um perigo extra aos moradores.

UFMG/Divulgação

O estudo foi realizado até o dia 6 de junho e, por isso, ainda não reflete números posteriores a flexibilização do comércio, que ocorreu no dia 25 de maio.

Reforço na fiscalização

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) voltou a colocar o pé no freio na flexibilização do comércio da capital durante a pandemia do novo coronavírus. O prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou, nessa sexta-feira (19), que o funcionamento continuará da forma que está, mas mandou um recado para aqueles que insistem em descumprir as regras.

Ao anunciar o reforço da PM (Polícia Militar) na fiscalização da cidade, Kalil avisou aos comerciantes que insistem em abrir as lojas sem autorização da PBH. “Nesta semana aconteceu uma reunião só sobre este assunto entre PM, [secretaria de] Política Urbana e Guarda Municipal. Exatamente para que a fiscalização seja endurecida. Inclusive, neste final de semana, os atletas, os que acham que não vão ficar doentes e nem passar doença para seus pais, funcionários e empregados vão ser surpreendidos”, disse.

Lockdown em regiões de Minas

O Governo de Minas pode intervir em regiões que estão com o crescimento no número de casos de Covid-19 descontrolado. Em pronunciamento realizado na última quinta-feira (18), o governador do Estado, Romeu Zema (Novo), disse que o crescimento de infectados e mortes provocados pela doença nos últimos dias é preocupante e que o Estado pode tomar “medidas drásticas”. O lockdown em BH e região metropolitana não está descartado.

“Esse crescimento [de casos] está nos causando desconforto. Nós esperávamos esse aumento, mas não como tem se comportado nos últimos dias. Por isso, eu peço à população e aos prefeitos que façam tudo que está ao seu alcance, pois, caso contrário, infelizmente, teremos de tomar uma medida mais drástica, caso os números continuem perdurando em algumas regiões que estão nos causando preocupações”, disse o governador.

Zema disse que a preocupação do Estado é o sistema de saúde, que pode não ter condições de suportar o aumento de contágio. Segundo ele, em apenas um mês, a ocupação de leitos em Minas dobrou de 7% para 14%. “Se continuar assim, em um mês teremos o estrangulamento da saúde”, disse.

Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018 e 2019) e Sindibel (2019).