Home NotíciasCoronavírusGoverno de Minas muda metodologia e número de casos de Covid-19 deve ‘explodir’

Governo de Minas muda metodologia e número de casos de Covid-19 deve ‘explodir’

dados coronavírus minas

Uma mudança no modelo de recolhimento de dados sobre o novo coronavírus em Minas Gerais pode causar uma explosão de casos registrados no Estado nos próximos dias. O novo sistema, que passa a ser utilizado nesta sexta-feira (26), visa reduzir a diferença nos números divulgados pelas prefeituras dos boletins da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais).

A informação foi adiantada ao BHAZ pela coordenadora da Sala de Situação, Janaína Passos de Paula, na manhã desta quinta-feira (25). A sala é uma espécie de grupo de trabalho multidisciplinar criada pelo Governo de Minas para coletar dados e orientar ações do Estado contra a Covid-19.

Leia mais: Trecho da BR-381 será interditado nesta sexta-feira

O atual modelo de coleta de dados é feito por meio de uma planilha, que apresenta um grande atraso entre a notificação do caso e a entrada no boletim. “Pelo sistema de informação de saúde, sempre houve esse atraso mesmo. O município identifica o caso, faz a notificação e isso tem um tempo até ser identificado e entrar no sistema de informação”, diz Janaína.

Diferença de dados

Entre as cinco cidades mais afetadas pela Covid-19 em Minas, a diferença entre os dados da SES-MG e os municípios ultrapassam a casa dos milhares. Segundo Janaína, o novo sistema, que começou a ser testado nesta semana, vai facilitar a inclusão de dados diretamente das prefeituras, reduzindo a diferença.

Leia mais: Em carta à Conmebol, Globo rescinde contrato da Libertadores

Casos (soma entre contaminados e óbitos) confirmados até essa quarta (24), de acordo com dados do boletim da SES-MG:

  • Belo Horizonte: 4.772
  • Uberlândia: 3.053
  • Juiz de Fora: 1.345
  • Ipatinga: 1.140
  • Contagem: 899

Dados de acordo com os boletins divulgados pelas respectivas secretarias municipais de saúde, também até essa quarta (24):

  • Prefeitura de Belo Horizonte: 4.772
  • Prefeitura de Uberlândia: 5.920
  • Prefeitura de Juiz de Fora 1.525
  • Prefeitura de Ipatinga 1.515
  • Prefeitura de Contagem: 816

“Para tentar superar esse atraso temporal, a equipe criou, primeiro, uma planilha muito extensa, com muitas informações, que eram encaminhadas diariamente para as regionais de saúde, que validavam com os municípios. Agora, estamos mudando a estratégia, usando uma metodologia de painel, onde os próprios municípios vão inserir as informações todos os dias e vão encaminhar para a gente”, explica a coordenadora. “O intuito é diminuir a diferença”.

Após uma semana de testes e reuniões, o novo sistema deve começar a rodar já nesta sexta. Apesar da facilidade, a atualização pode fazer com que o número de casos tenha um crescimento repentino. “Podemos ter um aumento [de casos] por causa desse ajuste entre os dados da secretaria e os dados atuais dos municípios. Se isso acontecer, vamos fazer uma nota explicativa sobre”, acrescente Janaína.

Coronavírus em Minas

Minas Gerais chegou a mais de 800 mortes provocadas pelo novo coronavírus. De acordo com o boletim da SES-MG, divulgado na manhã desta quinta (25), o Estado chegou a 32 mil infectados. Veja o que mudou:

  • 32.769 casos confirmados (aumento de 4,55%)
  • 806 mortes (aumento de 4,54%)
  • 12.497 casos em acompanhamento (aumento de 1,46%)
  • 19.466 casos recuperados (aumento de 6,63%)

Reforce a proteção contra o vírus

A SES-MG orienta que a população tome algumas medidas de higiene respiratória para evitar a propagação da doença, são elas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
Rafael D'Oliveira

Rafael D'Oliveira

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Comentários