Home NotíciasCoronavírusMinas chega a 1.110 mil mortes e 53 mil infectados pela Covid-19

Minas chega a 1.110 mil mortes e 53 mil infectados pela Covid-19

covid-19 minas mortes casos

O número de novos contaminados pela Covid-19 segue na casa dos milhares em Minas Gerais. Nesta sexta-feira (3), o Estado registrou 2.644 novos casos da doença e 51 mortes em decorrência do novo coronavírus, chegando a 1.110 óbitos.

Nessa quinta, o Estado já havia registrado um número alto de casos, foram mais de três mil infectados registrados em apenas 24h. Ainda ontem, Minas bateu recorde de mortos com o número acumulado de 52 óbitos em um dia.

Leia mais: Mais de dez milhões já voltaram ao trabalho com ‘fim do isolamento’, diz IBGE

Números

Em relação ao boletim de ontem, os números de casos recuperados também mostram evolução, chegando a 31,6 mil casos. Confira o que mudou:

  • 53.351 casos confirmados (aumento de 5,2%)
  • 1.110 mortes (aumento de 4,8%)
  • 20.559 casos em acompanhamento (aumento de 7,1%)
  • 31.682 casos recuperados (aumento de 3,9%)
Leia mais: Taxa de contágio da Covid-19 em Minas está abaixo de 1 e indica recuo

Pico da Covid-19

O pico da Covid-19 em Minas Gerais, previsto para o dia 15 de julho, período em que o Estado registraria um grande número de infectados e mortes causadas pelo novo coronavírus, pode ser suavizado ou não existir. A afirmação foi feita pelo secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, que acredita que medidas tomadas pelo Governo, em parceria com as prefeituras, podem surtir efeitos positivos nos próximos dias (veja aqui).

“Não sei nem se a gente vai chegar ao pico. Na verdade, o que temos são projeções de que é possível que tenhamos mais casos no dia 15 de julho. Mas, neste momento eu não teria essa ideia de que vamos chegar ao pico”, disse o secretário em entrevista ao BHAZ, nessa quarta-feira (1º).

Hospital de Campanha

Mesmo com a aceleração de casos de Covid-19 e o iminente esgotamento de leitos – de enfermaria e UTI – em hospitais, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, disse que o hospital de campanha, montado no Expominas, não deverá ser totalmente utilizado e nem ativado antes de 16 de julho, portanto, um dia após a data prevista para o provável pico de casos da doença (leia mais aqui).

“Acho que esse hospital de campanha, na plenitude, é muito difícil de ser usado, a não ser que efetivamente a epidemia se descontrole muito, e é tudo que nós não queremos”, disse o secretário de Saúde em entrevista exclusiva ao BHAZ.

Reforce a proteção contra o vírus

A SES-MG orienta que a população tome algumas medidas de higiene respiratória para evitar a propagação da doença, são elas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
Rafael D'Oliveira

Rafael D'Oliveira

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Comentários