Flexibilização: Lojas de BH vão funcionar uma hora a mais a partir de hoje

Comércio de rua em BH
Lojas de rua vão abrir às 10h e shoppings podem fechar às 21h em dias de semana. (Amanda Dias/BHAZ)

Mais uma flexibilização no comércio de BH foi anunciada nesta sexta-feira (16) pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte), no DOM (Diário Oficial do Município). A partir de hoje, as lojas de rua vão abrir às 10h, uma hora mais cedo do que antes. Já os shoppings vão poder fechar às 21h, uma hora mais tarde. A queda no número de contaminados pela Covid-19 é o que proporciona a retomada, conforme adiantou ontem o BHAZ (saiba mais aqui).

Com a nova regra, o comércio de BH vai funcionar da seguinte maneira: lojas de rua, galerias e centros comerciais, das 10h às 19h em dias úteis, e das 9h às 18h, aos sábados. Já os shoppings centers estão permitidos a abrir das 12h às 21h, de segunda a sábado. Aos domingos só é liberado o esquema de retirada no estacionamento, em formato drive-thru, sem restrição de horários. Leia as regras completas no DOM.

Horários de funcionamento (Reprodução/DOM)

O que pensa o especialista?

O médico infectologista Unai Tupinambás, integrante do comitê de enfrentamento da Covid-19 na capital, conversou com o BHAZ sobre a flexibilização. “Estamos de olho na saúde mental da população, temos que propor alguma coisa, isso não deve causar grande impacto. Inclusive pode trazer algum benefício, fazendo com que as pessoas aglomerem menos no mesmo horário”, explica.

O documento ainda explica que serviços de alimentação para consumo no local, como restaurantes e afins dentro dos shoppings, podem funcionar de segunda a sábado, das 11h às 22h. Caso esse tipo estabelecimento tenha acesso direto à rua, a liberação é de segunda a domingo e feriados, entre 11h e 22h.

“A gente está aprendendo a conviver um pouco com essa pandemia. Claro que ela não acabou. Mas com os números em queda, precisamos ir fazendo essas dosagens”, acrescentou o médico.

Questionado se já é possível prever um horário estendido para o Natal, ele foi enfático: “Hoje está bom demais. Se conseguirmos chegar assim em dezembro tá bom. Se não fechar já é lucro”, concluiu (leia mais aqui).

Números

O especialista reforça que a proposta só foi possível porque os números permitiram. Além disso, ele alertou que a população é a principal para continuar a prevenção. “Temos muitas ferramentas para combater o contágio que é usar máscara sempre, lavar as mãos constantemente, não entrar em lojas que estiverem cheias. Se os números estivessem piorando, a gente ia retroceder”, afirmou Tupinambás.

Situação em BH

Belo Horizonte tinha, até ontem (15), 45.437 casos da Covid-19 e 1.392 mortes causadas pela doença. O número médio de transmissão por infectado (Rt) está em 0,98, e as taxas de ocupação nos leitos de UTI e de enfermaria estão em 35,8% e 33,1% respectivamente. Todos os índices estão no nível verde.

Edição: Aline Diniz
Camila Saraiva
Camila Saraivacamila.saraiva@bhaz.com.br

Jornalista formada pela PUC-Minas em 2015. Pós-graduada em Jornalismo em Ambientes Digitais pelo Centro Universitário UniBH em 2019.

Comentários