Policial tenta impedir rinha ilegal e morre ao ser atacado por galo nas Filipinas

policial morre ao ser atacado por galo
O galo tinha uma lâmina presa a uma das patas (IMAGEM ILUSTRATIVA/Reprodução/redes sociais)

Um policial morreu ao ser atacado por um galo enquanto tentava interromper uma rinha ilegal, na segunda-feira (26), na província de Samar Norte, nas Filipinas. O tenente Christian Bolok foi atingido por uma lâmina de metal que estava presa na pata do animal, usada durante as brigas de galos.

De acordo com a CNN, a lâmina atingiu a artéria femoral do policial enquanto ele tentava confiscar a ave. “Ele foi levado às pressas ao hospital provincial, mas sua morte foi constatada no local, devido à intensa perda de sangue”, declarou um porta-voz do Departamento Policial da Província de Samar Norte.

policial filipino Christian Bolok
O galo tinha uma lâmina de metal preso à pata
(Reprodução/Northern Samar Police Provincial Office/Facebook)

Nas redes sociais, o departamento policial ao qual o tenente Christian Bolok pertencia publicou o homenagens ao agente e lamentou sua morte. “Suas ações foram sempre boas, uma mão generosa e uma mente ativa, estava sempre disposto a ajudar e repudiava as ofensas. Um irmão carinhoso e um amigo fiel. Vamos todos sentir sua falta”, diz uma publicação da corporação.

Ainda segundo a CNN, existe uma longa história de rinhas legais e ilegais de galos nas Filipinas, mas a atividade foi banida na região em agosto, após ter sido descoberto que ela era uma fonte de infecção por Covid-19. As rinhas ilegais são chamadas de “tupadas” no país e costumam acontecer em locais subterrâneos, para evitar que as autoridades descubram.

Três pessoas foram presas na noite da operação contra a rinha e outros três suspeitos foram identificados, mas conseguiram fugir do local. Os policiais confiscaram vários galos e recuperaram 550 pesos filipinos, que correspondem a cerca de R$ 65.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários