Minas tem primeira morte de criança por síndrome ligada à Covid-19

Maca de hospital
Criança de 9 anos não tinha comorbidades (Amanda Dias/BHAZ)

Minas Gerais confirmou, nessa segunda-feira (1º), a primeira morte causada pela Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) – condição relacionada à Covid-19 que tem afetado crianças durante a pandemia. De acordo com a SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), a vítima foi uma criança de 9 anos de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. Ela não tinha comorbidades e havia testado positivo para o coronavírus.

A criança apresentou febre e cefaleia no dia 21 de outubro de 2020, foi hospitalizada no dia 24 de outubro e transferida para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) no dia 25. O óbito ocorreu em 26 outubro e o caso foi notificado de acordo com os critérios do Ministério da Saúde para notificação de suspeita de SIM-P.

A investigação foi realizada pela área técnica da SES-MG com apoio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Estado de Minas Gerais (Cievs-Minas). Foi realizado amplo estudo do caso com encaminhamento de amostras clínicas para pesquisa de várias etiologias pelo Laboratório Central (Lacen) da Funed (Fundação Ezequiel Dias) e pelo Laboratório de Referência Nacional (LRN) da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). Todos os exames descartaram outras etiologias infecciosas.

Uma equipe técnica do Ministério da Saúde também analisou o caso para validar o diagnóstico de óbito por SIM-P, considerando que a síndrome é nova e apresenta quadro clínico de amplo espectro.

Casos da síndrome

De acordo com o último boletim epidemiológico semanal da SES-MG, foram notificados 211 casos suspeitos de SIM-P em Minas, sendo 104 descartados e 77 confirmados. No Brasil, são 646 notificações confirmadas de SIM-P, com registro de 41 óbitos no período de 1º de abril de 2020 a 2 de janeiro de 2021.

Sintomas

  • Conjuntivite não purulenta;
  • Erupções e inflamações na pele;
  • Inflamações na boca, mãos e pés;
  • Pressão baixa;
  • Disfunções cardíacas;
  • Coágulos;
  • Problemas intestinais como diarreia, vômito ou dor abdominal.

Com Agência Minas

Edição: Giovanna Fávero

Comentários