Pesquisar
Close this search box.

Quando Come se Lambuza: De uma festa de aniversário ao sucesso do Carnaval de BH

Por

bloco quando come se lambuza no carnaval de bh
(Paulo Santos/BHAZ)

Um dos mais tradicionais blocos do carnaval de Belo Horizonte anima as avenidas espalhando amor, alto astral e muita alegria. Já sabe de quem estamos falando? Aqui vai uma dica: quem nunca comeu melado… Agora ficou fácil! Hoje o BHAZ vai fazer um tour pela história do bloco que carregou mais de 400 mil pessoas na avenida Afonso Pena – o Quando Come se Lambuza.

Antes do sucesso, o coletivo começou como uma festa de aniversário. Quer saber como tudo aconteceu? Deixa que a gente te explica tudo sobre um dos blocos que promete animar o Carnaval BH 2024.

(Divulgação/Quando Come se Lambuza)

Aniversário do Melado

Tudo começou em 2014, com o aniversário do fundador do bloco, André Álvares, no dia 15 de fevereiro. O empresário de 31 anos narra ao BHAZ que planejou fazer uma festa de pré-Carnaval para comemorar as festividades.

Na época, ele já atuava como mestre de bateria em outros blocos e a ideia pareceu perfeita. Só precisava de um nome para o evento. “Meu nome é André, mas meu apelido é Melado. Foi aí que um amigo meu me lembrou do ditado: ‘quem nunca comeu melado, quando come se lambuza’. E decidimos batizar a festa com esse nome”, explica.

A partir daí, estava tudo certo! A comemoração, que ocorreria em frente ao bar Brasil 41, no bairro Santa Efigênia, foi divulgada através das redes sociais de André e de seus amigos. O número de pessoas que compareceu surpreendeu.

“Eu falei: ‘ah, como é só meu aniversário, eu vou esperar umas 400 pessoas, alguma coisa assim’. Só que deram mais de mil pessoas”, relembra André.

Com o sucesso da primeira edição do Quando Come se Lambuza, ele e seus amigos decidiram manter a festa nos anos seguintes, ainda no pré-Carnaval. “No ano seguinte, em 2015, eu falei ‘já que deu mil [na primeira edição], eu vou esperar umas 2 mil pessoas’. Aí deram 5 mil pessoas”, conta.

Já em 2016, a expectativa era de 8 mil pessoas e compareceram 10 mil no total. “Aí falamos ‘melhor a gente ir para o Carnaval mesmo, porque o pré-Carnaval está ficando apertado”. Então, foi em 2017 que o Quando Come se Lambuza saiu às ruas oficialmente como um bloco de Carnaval belo-horizontino. Nesse ano, o grupo percorreu a avenida Afonso Pena, onde agitam os sábados de Carnaval até o presente.

Lambuzada

André também conta que a bateria do bloco, chamada Lambuzada, é presença confirmada em todos os desfiles. Eles abrem inscrições anualmente para que pessoas de fora também possam participar. “A nossa bateria nunca foi fechada”.

“Todos os anos, por meio de rede social, a gente divulga inscrições para as nossas oficinas. E nas oficinas é o momento em que a gente nivela todos os ritmistas. Então, desde pessoas que já têm experiência até pessoas que nunca tocaram, a gente ensina o básico de todos os ritmos que a gente usa na avenida”.

(Divulgação/Quando Come se Lambuza)

O bloco fará ensaios abertos ao público em todas as quintas-feiras de janeiro, a partir do dia 10, e no dia 7 de fevereiro, sempre às 19h. O Quando Come Se Lambuza vai divulgar os locais por meio do Instagram em breve. A entrada será gratuita, com sugestão de contribuição.

(Divulgação/Quando Come se Lambuza)

Quando Come se Lambuza na avenida

O Quando Come se Lambuza está mais do que confirmado no carna BH em 2024! A concentração ocorrerá no sábado de Carnaval (10), às 9h na avenida Afonso Pena, no Centro.

André faz questão de lembrar que todos são bem-vindos. “A gente sempre brinca que o nosso lema é ‘Música Pra Pular Brasileira’, porque a gente toca de tudo e que nosso público é jovem e isso não tem a ver com a idade”.

Para ele, contemplar a trajetória do bloco até aqui é motivo de orgulho. “No início era simplesmente um aniversário, sem pretensão nenhuma de fazer um bloco maior. Só que depois eu percebi que as pessoas já estavam se apropriando dele”.

“Hoje em dia, eu falo que eu estou ali, mas o Quando Come se Lambuza é de BH. Não é o bloco do Melado, nem de ninguém que organiza. A gente simplesmente fomenta a cena de Carnaval e cultura de Belo Horizonte”, finaliza.

Anota aí:

Data: 10 de fevereiro
Endereço: Avenida Afonso Pena, 510, Centro
Horário: 9h

Isabella Guasti

Jornalista graduada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022 e também de reportagem premiada pelo Sebrae Minas em 2023.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ