IBGE prorroga inscrições para mais de 200 mil vagas de trabalho no Censo 2022

censo-2022
Censo 2022 será realizado em todos os municípios brasileiros (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) prorrogou o prazo de inscrição para mais de 200 mil vagas de trabalho temporárias no Censo. Com isso, os candidatos terão até o dia 21 de janeiro para se inscreverem. As vagas estão distribuídas em quase todos os municípios do país (5.297), sendo que 183.021 dessas vagas para recenseadores de nível fundamental.

Ao todo, o IBGE está ofertando 206.891 vagas temporárias no Censo 2022. Os recenseadores contratados atuarão diretamente na coleta das informações em mais de 70 milhões de domicílios. Como o salário do recenseador é por produção, é possível simular a remuneração (clique aqui).

O simulador calcula quanto o profissional vai receber de acordo com a quantidade de residências visitadas e pessoas recenseadas. O cálculo considera, ainda, a taxa de remuneração de cada setor censitário, o tipo de questionário preenchido (básico ou amostra) e o registro no controle da coleta de dados.

Inscrições

As inscrições são feitas por meio da FGV (Fundação Getúlio Vargas), que é a organizadora da seleção. Em relação às provas, elas acontecerão em todos os municípios onde houver vagas. O candidato poderá fazer a prova em local diferente do que ele selecionar para trabalhar no ato da inscrição.

O IBGE reforça que as inscrições para os processos seletivos de 2020 e 2021 não são válidas para o Censo 2022. O pedido de reembolso dos processos cancelados deve ser feito no site do instituto (acesse aqui).

Há ainda 18.420 vagas de ACS (Agente Censitário Supervisor) e 5.450 de ACM (Agente Censitário Municipal), ambas de nível médio. Os salários são de R$ 1.700 e R$ 2.100, respectivamente. O ACM gerencia o trabalho do posto de coleta, enquanto o ACS, subordinado ao ACM, tem como principal função orientar os recenseadores durante a execução dos trabalhos de campo.

Taxa de inscrição

As vagas de agente censitário terão inscrição única, sendo assim, o candidato com melhor classificação receberá a oferta de vaga para ACM. Os demais terão direito às vagas de ACS, de acordo com a ordem de classificação. 

A taxa de inscrição para recenseador é de R$ 57,50, e de R$ 60,50 para agente censitário, e pode ser paga até 16 de fevereiro. Com a prorrogação dos prazos, a data das provas também sofreu alteração, passando de 27 de março para 10 de abril.

Os candidatos podem concorrer aos dois processos seletivos, já que as provas dos recenseadores serão no turno da manhã, e a dos agentes censitários, na parte da tarde. As provas acontecerão presencialmente, seguindo os protocolos sanitários de prevenção da Covid-19. Aquele que descumprir as medidas de proteção será eliminado do processo seletivo.

Prorrogação é normal

Segundo o coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros, a prorrogação é um processo normal e esperado em processos seletivos deste porte. “Há o acréscimo de ser um processo que foi aberto em um período de festas de final de ano, com a população viajando”.

“Os alunos das universidades são um público que se interessa pelo trabalho de recenseador, e eles estão de férias neste momento. Além disso, muita gente está empregada com contratos temporários que expiram agora no final de dezembro, e vai começar a buscar novas oportunidades”, disse.

Confira o número de vagas para recenseador e para agente censitário por unidade de federação:

Vagas para recenseador por unidade de federação (Reprodução/IBGE)
Vagas para agente censitário por unidade de federação (Reprodução/IBGE)

Recenseador escolhe onde trabalhar

Na seleção para recenseadores, os candidatos devem escolher, no ato da inscrição, a área em que desejam trabalhar. Essas áreas podem corresponder a um ou mais bairros, ou a comunidades. A ideia é que os moradores se inscrevam para poderem atuar nas imediações de suas residências.

Dessa forma, o IBGE contará com recenseadores ambientados a sua região de trabalho. A jornada de trabalho recomendável para os recenseadores é de, no mínimo, 25 horas semanais, e a previsão é de que os aprovados trabalhem por até três meses na coleta domiciliar.

Isenção da taxa de inscrição

Os processos seletivos para o Censo 2022 permitem a solicitação da isenção do pagamento da taxa de inscrição para pessoas inscritas no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais). Para recenseador, o pedido deverá ser feito até o dia 21 de janeiro.

Após o envio dos dados, a solicitação passará por uma análise da organizadora. O resultado preliminar dos pedidos de isenção de taxa sairá no dia 2 de fevereiro, cabendo recursos nos dias 3 e 4 de fevereiro. Já o resultado definitivo sai no dia 15 de fevereiro. Caso o pedido de isenção seja indeferido, o candidato terá até o dia 16 de fevereiro para pagar a taxa.

Conteúdo das provas

A prova para as vagas a recenseador será objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Matemática, 5 questões sobre Ética no Serviço Público e 25 questões de Conhecimentos Técnicos.

“O conteúdo a ser cobrado na prova está detalhado no edital. Disponibilizamos também uma apostila de conhecimentos técnicos, preparada pelo IBGE, para que o candidato obtenha os conhecimentos necessários para responder as questões sobre a operação censitária. A apostila e o Código de Ética do IBGE estão disponíveis no site da FGV”, explica Bruno Malheiros.

Aqueles candidatos que receberem aprovação na primeira etapa receberão um treinamento presencial e à distância, de caráter eliminatório e classificatório, com duração de cinco dias e carga horária de oito horas diárias.

Os candidatos que tiverem no mínimo 80% de frequência no treinamento receberão uma ajuda de custo para transporte e alimentação. As contratações ocorrerão logo em seguida.

Provas de agente censitário

Já os candidatos para as funções de agente censitário farão prova objetiva de caráter eliminatório e classificatório, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Raciocínio Lógico Quantitativo, 5 questões de Ética no Serviço Público, 15 questões de Noções de Administração / Situações Gerenciais e 20 questões de Conhecimentos Técnicos.

A prova para ACM e ACS tem duração de 3 horas e 30 minutos. A de recenseador tem duração de 3 horas. A divulgação dos gabaritos preliminares será no dia seguinte à aplicação das provas, no site da FGV. O resultado final está previsto para o dia 20 de maio.

Coleta de dados em meio à pandemia

A coleta de dados do Censo 2022 será presencial, por telefone ou internet. O diretor adjunto de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, acrescenta que o instituto está desenvolvendo protocolos que garantam a segurança do recenseador e do morador durante a coleta das informações, por conta da pandemia.

Além dos procedimentos de segurança, como uso de máscara, álcool e distanciamento mínimo, o morador terá a opção de responder ao recenseador presencialmente, por telefone ou ainda preencher o questionário pela internet.

“Essas três formas de coleta serão utilizadas durante a operação do Censo 2022. De qualquer forma, o recenseador terá que ir ao domicílio, seja para realizar a entrevista no local, obter o telefone do morador ou fornecer o link e a chave de acesso ao questionário para que o próprio morador preencha o questionário pela internet”.

“O IBGE vai visitar mais de 70 milhões de domicílios. Estamos trabalhando para que a pesquisa que retrata o país seja realizada com segurança para todos”, garante Cimar.

Censo vai visitar todos os municípios

Está previsto que cerca de 213 milhões de habitantes, em mais de 70 milhões de domicílios, recebam a visita dos recenseadores, nos 5.570 municípios do país. A pesquisa revelará, entre outras informações, as características dos domicílios, identificação étnico-racial e nupcialidade.

Ademais, serão coletados dados sobre o núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo.

Realizado a cada dez anos, o Censo Demográfico é a principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população em todos os municípios do país.

Com IBGE

Edição: Roberth Costa
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários