Para dar risada: Mônica Martelli traz comédia ‘Minha Vida em Marte’ a Belo Horizonte

mônica martelli minha vida em marte
Mônica Martelli é autora e intérprete da peça ‘Minha Vida em Marte’ (Divulgação/Rodrigo Peixoto)

A atriz e autora Mônica Martelli trará a Belo Horizonte a peça “Minha Vida em Marte”, sucesso de bilheteria em diversas cidades brasileiras. A apresentação ocorre no Palácio das Artes, no Centro da capital mineira, nos dias 20 e 21 de agosto. Os ingressos estão à venda a partir de R$ 100 (plateia superior inteira).

Minha Vida em Marte mostra a continuação da história de Fernanda, personagem que surgiu pela primeira vez no teatro no ano de 2005, na comédia “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que eu Vou”, também de Mônica. A artista criou a protagonista para discutir temas como amor e empoderamento feminino.

A peça tornou-se um grande sucesso, alcançando cerca de 2,5 milhões de espectadores, e o projeto deu origem ao filme de mesmo nome, que também levou aproximadamente 5 milhões de pessoas até as salas de cinema. O filme marca a última atuação de Mônica Martelli com o amigo Paulo Gustavo, que faleceu no ano passado.

Além do sucesso nas bilheterias dos teatros e cinemas, a história também ganhou uma série no canal GNT. O projeto se estendeu por quatro temporadas e é um dos títulos que mais dá audiência à emissora. Tanto no teatro quanto na televisão, a direção da obra fica por conta de Susana Garcia, irmã de Martelli.

Mônica Martelli em ‘Minha Vida em Marte’ (Divulgação/Rodrigo Peixoto)

Sinopse

A produção traz de volta Fernanda, agora com 45 anos, à procura de respostas para a vida matrimonial. “Demorei para fazer esta peça porque sei que só é possível falar com propriedade sobre um assunto quando se consegue olhar para ele com distanciamento”, conta Mônica Martelli.

Assim como a personagem, a atriz e autora conhece as dores da separação. Ela teve como suporte para criação da peça suas próprias experiências, que resultaram em um monólogo bem-humorado que aproxima através do riso e convida mulheres e homens a refletir.

Na obra “Os Homens são de Marte…”, Fernanda buscava o amor. Já em “Minha Vida em Marte”, a personagem está casada há oito anos com Tom, com quem ela teve uma filha, Joana, que já tem cinco anos. É com esse pano de fundo que a protagonista se questiona durante uma terapia em grupo.

Mônica Martelli em ‘Minha Vida em Marte’ (Divulgação/Rodrigo Peixoto)

Temas do cotidiano da vida conjugal

Durante as sessões de terapia, ela narra e vivencia as partes boas e ruins da vida conjugal, enquanto expõe assuntos íntimos como a intolerância, a falta de tesão, as tentativas de “trabalhar a relação”. Nessa reflexão, Fernanda percebe que nas relações estagnadas, adia-se o afeto e acumulam-se mágoas.

“É muito comum no casamento que a gente deixe para amanhã a ternura, o sexo e a tolerância. E quando percebemos isso, a família que tanto sonhamos já está por um fio”, reflete Mônica. A partir disso, questiona-se se a personagem conseguirá superar a crise ou se irá recorrer à separação. Vale à pena enfrentar a solidão?

A comédia aborda, ainda, outros temas relevantes como traição, machismo, trabalho duplo da mulher e educação dos filhos. Minha Vida em Marte possui um texto libertador, escrito sob a ótica de que o essencial da vida é ser feliz.

Mônica Martelli

A atriz carioca é a criadora e intérprete de “Os Homens São de Marte… E é pra Lá que eu Vou”, montagem que, durante 12 anos, mais de 2,5 milhões de espectadores assistiram. A obra passou por 40 cidades em 20 estados brasileiros – além de Portugal – e tornou-se um dos mais longevos sucessos de público do gênero no país.

Durante nove anos, Mônica Martelli atuou como uma das apresentadoras do programa “Saia Justa”, no canal GNT. Participou de novelas globais como “Beleza Pura” e “TITITI”, integrou o elenco do seriado “Mandrake”, da HBO, e de filmes como “Trair e Coçar e Só Começar”, entre outros.

Mônica Martelli (Divulgação/Julia Rodrigues)

Susana Garcia, a diretora

Susana Garcia é a diretora do espetáculo e do filme Minha Vida em Marte, além de ser também irmã de Mônica Martelli. Essa parceria profissional começou na codireção do filme Os Homens São de Marte…, continuou durante as quatro temporadas da série do GNT que Susana dirigiu e que agora completa um ciclo.

Entre seus trabalhos está, ainda, a direção da série “A Vila”, estrelada por Paulo Gustavo no Multishow. A carreira de Susana teve início como codiretora no espetáculo “La Barca d’América”. Logo depois, seria ovacionada e premiada em sua estreia na direção, ao lado de Herson Capri, em “Eu Sou Minha Própria Mulher”.

A dobradinha de sucesso acabou sendo repetida com Capri no infantil “A Casa da Madrinha”. Garcia assinou, ainda, outros trabalhos como “Conversando Com Mamãe”, “Querida Mamãe” e “A Fada Que Tinha Ideias”.  Recentemente, a Amazon Prime Video contratou a profissional.

Os ingressos disponíveis estão dividos em três setores: plateia superior (R$ 100 inteira), plateia 2 (R$ 130) e plateia 1 (R$ 150). O benefício de meia-entrada está disponível para idosos, menores de 21 anos e portadores de ID Jovem (acesse as entradas aqui).

Anota aí:

Espetáculo “Minha Vida em Marte”

Data: 20 e 21 de agosto

Horário: 21h no dia 20/8 | 19h no dia 21/8

Local: Palácio das Artes | Av. Afonso Pena, 1537, Centro

Classificação: 14 anos

Ingressos: https://www.eventim.com.br/artist/minha-vida-em-marte/

Edição: Roberth Costa
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários