Áudio falso de assalto de agentes sanitários tenta causar pânico em BH; PM desmente

áudio pânico coronavírus
As mensagens estão circulando como forma de causar pânico nas pessoas em meio à pandemia do coronavírus (WhatsApp/Reprodução)

Áudios e fotos de supostos agentes da vigilância sanitária que estariam assaltando prédios em BH são falsos, segundo a PM (Polícia Militar). As mensagens estão circulando, principalmente, no WhatsApp, como forma de causar pânico nas pessoas em meio à pandemia do coronavírus. No Rio de Janeiro também acontece algo similar.

No áudio, uma mulher diz que estaria andando no bairro Barroca, na região Oeste de BH, quando avistou uma movimentação de policiais perto de um prédio. “Perguntei para um policial o que estava acontecendo, e ele falou que três pessoas apertaram um interfone e falaram que eram da vigilância sanitária, que tinham que fazer obrigatoriamente um exame para o coronavírus”, começa.

Na sequência, a mulher diz que o morador teria aberto o portão para que os supostos agentes entrassem. “Tinha uma mulher no meio, e eles assaltaram o prédio inteiro, não sei se conseguiram pegar. Agora eu estou descendo a Rio Negro, para trabalhar e, um quarteirão antes da Amazonas aconteceu a mesma coisa. Tem duas mulheres na rua chorando e o policial tentando acalmá-las”, continua.

No fim do áudio, a pessoa completa dizendo para todos redobrarem os cuidados. “Não abra a porta para ninguém, por favor. A minha família está toda em casa, não sei se a de vocês está. Então vamos redobrar o cuidado, é a segunda hoje que eu vi”.

Mensagens em texto também circulam no WhatsApp

Polícia desmente

Segundo a capitão Layla Brunella, chefe da sala de imprensa da Polícia Militar, os vídeos, áudios e prints de conversa que têm circulado em mídias sociais narrando furtos e roubos cometido por pessoas simulando ser agentes da área de saúde são falsos. “Não foi registrado nenhum fato semelhante em nosso estado. Qualquer dúvida a respeito, a Polícia Militar pode ser acionada pela população via 190”, explica.

Além disso, sobre o fato narrado no áudio, a polícia conta que a ocorrência de prisão do indivíduo aconteceu no Barroca, entre Grajaú e Prado. “Pegaram a movimentação de viaturas para prisão de autor do roubo tentado, sendo um indivíduo apenas, e nada relacionado a se passar por agente sanitário ou equivalente. Daí criaram esse boato, que já vem rodando em outras cidades e estados há alguns dias”.

A Prefeitura de Belo Horizonte também reforça que não existe qualquer possibilidade de uma equipe da área médica se deslocar à residência dos belo-horizontinos para realizar qualquer tipo de exame.

O SUS (Sistema Único de Saúde) e laboratórios privados até oferecem esse serviço, mas é preciso que seja agendado previamente.

Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Editor e repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sindibel (2019), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).