Bares e restaurantes têm horário de funcionamento e quantidade de pessoas por mesa ampliados em BH

Restaurante
O distanciamento mínimo entre as mesas também foi reduzido (FOTO ILUSTRATIVA: Tomaz Silva/Agência Brasil)

A partir deste sábado (11), os bares e restaurantes da capital mineira poderão funcionar diariamente, entre 5h da manhã e 1h da manhã do dia seguinte, conforme determinado pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte). Atualmente, esses estabelecimentos podem funcionar das 11h à 1h. A prefeitura também aumentou a quantidade de pessoas permitidas por mesa.

As mudanças incluem os estabelecimentos que estão no interior de galerias de lojas, centros de comércio, shopping centers e clubes de serviço, de lazer, sociais e esportivos. Ainda segundo a PBH, a retirada no local pode seguir a mesma faixa de horário e não há restrição de horário para a entrega em domicílio.

Já a quantidade de pessoas permitida por mesa nos bares e restaurantes agora vai de seis a oito. A determinação vale caso a mesa, individualmente ou em conjunto com outra, possua no mínimo 1,40 m de comprimento. O distanciamento mínimo entre as mesas também passa de dois metros para um metro. 

Mais flexibilização

Ainda conforme anúncio da PBH, o comércio de alimentos em veículo automotor e em veículo de tração humana (carrinhos de pipoca, cachorro quente, entre outros) também terá seu horário ampliado. Agora, esses comércios poderão funcionar diariamente, das 5h às 23h. O horário atual é das 11h às 21h. 

As flexibilizações para restaurantes bares e comércio de alimentos em veículos estão detalhadas na edição deste sábado do DOM (Diário Oficial do Município) de Belo Horizonte. Confira a atualização do decreto aqui.

Outra novidade é a liberação para eventos de corrida licenciados. De acordo com a prefeitura, o protocolo será publicado nos próximos dias, mas uma das exigências será que todos os participantes e trabalhadores apresentem teste negativo para Covid-19.

“A autorização da Prefeitura de Belo Horizonte se baseia nos indicadores epidemiológicos e assistências – todos na faixa verde – e após um monitoramento do impacto das últimas medidas de flexibilização”, justifica a PBH.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários