Com privatização prevista para começar em 2022, governo anuncia ampliação do metrô de BH

metrô bh
Projeto faz parte da privatização da CBTU (Amanda Dias/BHAZ)

O governo federal anunciou nesta quarta-feira (25) um acordo com o Governo de Minas para a ampliação da linha 1 e construção da linha 2 do metrô de Belo Horizonte. O anúncio foi feito nesta tarde pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. O acordo faz parte do projeto de privatização da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos).

A ampliação foi anunciada após reunião, em Brasília, com presença de Marinho, do governador Romeu Zema (Novo) e do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes. Apesar do comunicado, nem o ministério ou Governo de Minas informaram como será a participação da iniciativa privada no projeto. A reportagem do BHAZ entrou em contato com a CBTU, mas não houve resposta até o final desta edição.

“Em conjunto, com soluções criativas, estamos enfrentando os gargalos históricos na infraestrutura das cidades, promovendo a melhoria da vida das pessoas”, disse o ministro. Belo Horizonte é a primeira cidade a passar pela desestatização da companhia, o que se estenderá também para outras cidades do Brasil nos próximos dias.

Décadas de tentativas

Romeu Zema explicou que serão investidos R$ 3,2 bilhões no metrô de Belo Horizonte, sendo R$ 2,8 bilhões do governo federal e cerca de R$ 400 milhões do Governo de Minas. Será feito um edital de concessão para que se iniciem as obras de ampliação na linha já existente e a conclusão da linha 2.

“Depois de algumas décadas, esse projeto será destravado e se transformará em realidade. É lógico que é uma obra que vai levar algum tempo para ser executada, mas pelo menos será iniciada. Vai criar empregos e dinamizar a nossa economia”, afirma Zema.

A finalização dos estudos de viabilidade do projeto e as audiências públicas estão previstas para ainda este ano, com realização do leilão no primeiro trimestre de 2022.

A linha 1 do metrô, atualmente a única de Belo Horizonte, liga o bairro Água Branca, em Contagem, na região metropolitana de belo Horizonte, ao bairro Vilarinho, na região de Venda Nova, na capital. Já a linha 2 pretende ligar o bairro Calafate, região oeste de BH, à região do Barreiro.

Projeto antigo

Apesar da novidade de investimento da iniciativa privada, as obras de ampliação do metrô já são uma promessa antiga e conhecida pelos mineiros. Em abril de 2019, a bancada mineira e o prefeito de BH, Alexandre Kalil, na época no PHS, afirmaram que o projeto sairia do papel.

O deputado federal Diego Andrade (PSD) chegou a afirmar que os deputados de Minas cobrariam a execução da obra durante o processo de renovação das concessões de ferrovias. “Esta é uma questão histórica e que as pessoas ficam muitas vezes desacreditadas devido à falta de recursos. Mas teremos a renovação de concessões das ferrovias brasileiras e a maior parte está em Minas Gerais. Vamos conversar para que possamos exigir, como contrapartida da renovação, a execução da ampliação da linha até o Barreiro”, disse.

As obras da Linha Dois do metrô de BH que ligariam a região do Barreiro ao Calafate chegaram a ser iniciadas em 1998. No entanto, só duraram até o ano de 2003, quando foram paralisadas e até o momento não foram retomadas (leia mais aqui).   

Negociações também para rodovias de Minas

Ainda durante o encontro, o ministro Tarcísio Gomes também anunciou a data de lançamento do edital de concessão de duas das principais rodovias mineiras, são elas a BR-381 e BR-262. O prazo de concessão é de 30 anos.

“O ministro Tarcísio disse que estará em Belo Horizonte no dia 1º de setembro para lançar o edital da concessão da BR-381. Na semana que vem, teremos a liberação do edital que vai significar grandes investimentos nesta rodovia tão importante e a melhoria da nossa infraestrutura”, destaca Zema.

Serão privatizados, ao todo, 670,4 quilômetros, que contemplam a rodovia BR-381/MG, trecho com início em Belo Horizonte/MG, no entroncamento com a BR-262/MG, em Sabará, até o entroncamento com a BR-116/MG, na altura da cidade de Governador Valadares; rodovia BR-262/MG, entre o entroncamento com a BR-381/MG, em João Monlevade, até a divisa do estado; e rodovia BR-262/ES, entre a divisa de Espírito Santo e Minas, até o entroncamento com a BR-101/ES, em Viana.

Edição: Giovanna Fávero
Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários