Empurra-empurra e gritos! Confusão antes da chegada de Bolsonaro mobiliza seguranças e PM na Cidade Administrativa

ato cidade administrativa
Confusão foi registrada antes da chegada do presidente (Asafe Alcântara/BHAZ)

Um tumulto foi registrado na Cidade Administrativa antes da chegada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na manhã desta quinta-feira (30). Grupos favoráveis e contrários ao político se reúnem no espaço onde o presidente cumpre agenda em Belo Horizonte.

Grades de proteção separavam os grupos, mas os manifestantes contrários ao presidente conseguiram furar o bloqueio e tentaram acessar o mesmo espaço onde os apoiadores de Bolsonaro estão.

A segurança do espaço, além da Polícia Militar, tiveram que intervir após o início do tumulto. “Aqui é a casa do povo e o povo tem que entrar”, disseram alguns manifestantes.

Manifestações

Antes da confusão, os grupos diziam palavras de ordem e exibiam faixas com as reivindicações. “A nossa bandeira jamais será vermelha”, “Lula ladrão, seu lugar é na prisão”, “Vai pra Cuba. O aeroporto tá pertinho”, diziam os apoiadores do presidente.

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid foi classificada de “safadeza” pelo grupo. O senador mineiro Rodrigo Pacheco, presidente do Congresso Nacional, foi chamado de “pilantra”. O grupo ainda cantou “Como é grande o meu amor por você” para Bolsonaro.

Os contrários ao presidente, por sua vez, defenderam o impeachment de Bolsonaro. “Fora Bolsonaro corrupto e genocida. Impeachment já”, estava escrito em uma faixa. Eles também entoaram: “Doutor eu não me engano, o Bolsonaro é miliciano”, “Vacina na veia, Bolsonaro na cadeia”.

Bolsonaro em BH

A vinda do presidente Jair Bolsonaro em Belo Horizonte é para anunciar a privatização da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), empresa responsável pelo metrô na capital mineira. Um projeto concede crédito de R$ 2,8 bilhões para que a estatal passe à iniciativa privada. O recurso será utilizado, entre outros fins, para ampliar a linha metroviária da cidade.

A visita faz parte das comemorações pelos mil dias do governo, completos nessa segunda-feira (27). Segundo o Governo de Minas, o governador Romeu Zema (Novo) vai acompanhar o presidente. Na ocasião, o presidente deve anunciar os recursos que serão utilizados para o financiamento da linha 2 (Calafate/Barreiro) do metrô, a modernização da linha 1 e a cobertura de déficit orçamentário da empresa.

Além do anúncio dos recursos, vai acontecer a cerimônia de lançamento da pedra fundamental do Centro Nacional de Vacinas.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários