Pesquisar
Close this search box.

Delegada Monah Zein disparou quatro vezes contra policiais; veja pronunciamento oficial da Polícia Civil

Por

delegados saulo castro e francione tavares coletiva de imprensa
Delegada Monah teve prisão decretada em BH por tentativa de homicídio (Asafe Alcântara/BHAZ)

A Polícia Civil fez uma coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (23) a respeito do caso da delegada Monah Zein, que teve prisão decretada em BH. Segundo o delegado Saulo Castro, Monah disparou contra os policiais cerca de quatro vezes durante a negociação no prédio onde ela estava.

“É possível que esse número seja diferente, mas precisamos aguardar o laudo pericial para confirmar”, informou o delegado. Ainda, Saulo disse que, na situação, os policiais poderiam ter usado arma de fogo “diante desse injusta agressão”, ponderou.

A Corregedoria Geral apura a dinâmica dos fatos. A audiência de custódia da delegada está prevista para esta sexta-feira (24), às 10h25, na Central de Recepção de Flagrantes da capital (Ceflag).

Prisão em flagrante pelos tiros contra policiais

A delegada teve a prisão em flagrante ratificada pelo crime de tentativa de homicídio por causa dos disparos contra os policiais. De acordo com o delegado Saulo, Monah recebeu voz de prisão enquanto descia pelo elevador do prédio, acompanhada por um policial.

“A rigor, ela não foi presa em flagrante, ela estava em uma situação de condução para análise da prisão em flagrante, porque o delegado responsável por analisar os fatos não foram os mesmos agentes que estavam no prédio”, explicou Saulo Castro.

Além da prisão em flagrante decretada, a polícia cumpriu mandado de busca e apreensão de duas armas que estavam em posse da delegada Monah. Conforme disse Saulo, em tese, a situação poderia configurar como porte ilegal de arma, uma vez que não estavam registradas.

“Caso ela receba alta médica, se em audiência de custódia a prisão em flagrante vier a ser convertida em prisão preventiva, ela será encaminhada à Casa de Custódia da Policia Civil”, acrescentou o delegado. Se configurada infração de natureza grave e caso haja um processo administrativo, a corporação pode demitir Monah.

“Tudo isso em tese. É necessário aguardar audiência de custódia”, ressalta o delegado. “O próprio auto de prisão em flagrante servirá de base para apurações, inclusive de eventuais situações de transgressão disciplinar de qualquer servidor”, finalizou.

Andreza Miranda

Graduada em Jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2020. Participou de duas reportagens premiadas pela CDL/BH (2021 e 2022); de reportagem do projeto MonitorA, vencedor do Prêmio Cláudio Weber Abramo (2021); e de duas reportagens premiadas pelo Sebrae Minas (2021 e 2023).

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ