Bolsonaro nega ser charlatão e diz que deu alternativa com cloroquina

bolsonaro com cloroquina
Bolsonaro exaltou medicamentos sem eficácia comprovada (Igo Estrela/Metrópoles)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta terça-feira (17), que não é um charlatão ou um curandeiro por ter divulgado um suposto “tratamento precoce” contra o novo coronavírus. O mandatário da República disse ter oferecido apenas uma “alternativa”.

“O que foi que eu fiz: eu busquei maneira de atender o povo. Mas não eu, capitão, o presidente Jair Bolsonaro. [Foi] junto com médicos, junto com embaixadores pelo mundo afora que nós temos. Não é que sou o charlatão, o curandeiro, nem inventei nada. Eu dei uma alternativa”, disse o presidente, em entrevista à Rádio Capital Notícia, de Cuiabá (MT). “Você pode ver, a grande quantidade de medicamentos descobertos no Brasil são por acaso. Até a questão da disfunção erétil. Por acaso, descobriu-se aquilo que depois se chamou de Viagra. Tem um montão de velhos aí tendo filhos”, prosseguiu o mandatário.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 vai pedir o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro por charlatanismo e curandeirismo. Mesmo sem comprovação científica, o chamado “tratamento precoce”, que inclui medicamentos como hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina, por exemplo, foi amplamente defendido pelo chefe do Executivo federal durante a pandemia da Covid-19.

Metrópoles

O Metrópoles é um veículo de comunicação ágil, com linguagem acessível e totalmente focada no digital. Informar, escutar, interagir, debater, denunciar, diversificar, entreter e prestar serviço à sociedade do Distrito Federal e do país são especialidades do portal.

Comentários