Cachorro morre em aeroporto e tutora denuncia companhia aérea por maus-tratos

cachorro morre após viagem
Segundo Gabriela Rasseli, o animal foi mantido em um local abafado no aeroporto do Galeão durante mais de uma hora e meia (Reprodução/@gabid_r/Instagram)

Uma jovem de 24 anos publicou, no sábado (18), uma carta de repúdio à companhia aérea Latam Airlines, depois que o cachorro dela – que viajou de São Paulo para o Rio de Janeiro – faleceu quando chegou ao destino. Segundo a estudante Gabriela Duque Rasseli, o animal foi mantido em um local abafado no aeroporto do Galeão, na capital carioca, durante mais de uma hora e meia.

“Meu cachorro chegou no aeroporto do Galeão as 13h53 e só me entregaram ele 15h30, deixaram meu cachorro no calor, quando ele chegou pra mim ele já estava quase morto!!!!! Eu e minha família estamos devastados. Não tem NADA que alivie nossos corações. A gente só quer justiça!!!!!”, disse.

A publicação de Gabriela alcançou mais de 100 mil pessoas e, dentre os comentários, diversas pessoas mencionaram a empresa e pediram por justiça. “É inaceitável, Latam Airlines! Além de explicações, vocês precisam ser responsabilizados! Gabi, sinto muitíssimo por você e por sua família”, comentou uma uma usuária da rede social.

Pelos stories, a estudante disse ontem (19) que a empresa ainda não entrou em contato para prestar esclarecimentos. “Pelo contrário, estão bloqueando meus comentários e da minha família na página oficial. Expor a situação foi a única maneira que encontramos de tentar algum tipo de justiça, estamos sem saber o que fazer”, escreveu.

Veja a publicação:

Posicionamento da empresa

Em nota enviada ao Metrópoles, a companhia aérea negou que tenha evitado contato com a tutora do animal. A empresa disse que “nos sensibilizamos muito com o que aconteceu e estamos em contato com a cliente Gabriela desde o desembargue do animal”.

“A companhia reitera que a segurança é um valor inegociável, reforçando que se solidariza com a tristeza vivida pela cliente e que fará tudo que está ao seu alcance para oferecer a assistência necessária neste momento. A empresa esclarece ainda que seguiu todos os procedimentos de aceitação e transporte do pet, que atendem rigorosamente aos regulamentos de autoridades nacionais e internacionais”, diz o restante do comunicado.

Edição: Roberth Costa
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários