Greve no Banco Central atrasa nova fase da consulta a ‘dinheiro esquecido’ em bancos

Sistema não tem previsão de ser disponibilizado novamente (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Os servidores do Banco Central retomarão a greve nesta terça-feira (3), após não chegarem a um acordo com a presidência da instituição. A paralisação levou ao adiamento da próxima fase da consulta ao sistema de Valores a Receber. A nova etapa estava prevista para começar nesta segunda-feira (2), mas agora não tem data para a retomada.

O site do Banco Central, na página de consulta dos Valores a Receber, exibe uma mensagem falando sobre a suspensão do serviço. “Em breve, o Banco Central divulgará: a data de reabertura do sistema para novas consultas e resgate dos saldos existentes; e informações sobre valores de falecidos. Enquanto isso, estamos trabalhando em melhorias do SVR e na inclusão de novos valores”, detalha o comunicado.

Os valores no sistema que foram disponibilizados para resgate na primeira fase são referentes a:

  • Contas-correntes ou de poupança encerradas, com saldo disponível.   
  • Tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o BC.  
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito.   
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados. 

Na nova fase, ainda sem previsão de início, também serão incluídos:

  • Tarifas cobradas indevidamente, não previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC;
  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, não previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC;
  • Contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com saldo disponível;
  • Contas de registro mantidas por sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários e por sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários para registro de operações de clientes encerradas com saldo disponível;
  • Entidades em liquidação extrajudicial;
  • Fundo Garantidor de Crédito;
  • Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito.

Greve dos servidores

Na última sexta-feira (29), o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) divulgou um comunicado sobre a decisão de retomar a greve. “As razões principais foram o descumprimento por parte do presidente do BC em conseguir em abril/2022 uma reunião entre o sindicato e o Ministro Ciro Nogueira, a não apresentação de uma proposta alternativa aos 5% e a não apresentação de uma proposta sobre a parte não-salarial de nossas demandas”, detalhou a nota.

O comunicado se refere a um reajuste de 5% proposto pela instituição, que os servidores julgaram insuficiente. Os trabalhadores apresentaram uma contraproposta de reajuste de 27%, passando a valer a partir do segundo semestre. Há ainda a reivindicação de uma reunião para negociação da estrutura de carreira, com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. Os servidores consideram a posição da presidência “intransigente”.

Edição: Roberth Costa
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários