Pesquisar
Close this search box.

Marido de Walewska relata à polícia que estava com problemas no casamento e pediu o divórcio

Por

walewska e marido
No boletim de ocorrência sobre a morte de Walewska, Ricardo relatou problemas no casamento (Reprodução/@walewska.oliveira/Instagram)

O marido de Walewska Oliveira, ex-jogadora de vôlei mineira que morreu nessa quinta-feira (21), contou à polícia que passava por problemas no casamento com a atleta. Segundo o boletim de ocorrência da morte de Walewska, Ricardo Alexandre Mendes relatou que havia pedido o divórcio à esposa.

De acordo com o Uol, Ricardo disse à polícia que o relacionamento com Walewska apresentava problemas há cerca de quatro anos. Ele relatou aos policiais que estava no apartamento do casal quando soube do ocorrido com a campeã olímpica por meio da administração do prédio.

No depoimento, o marido da ex-jogadora disse que o casamento foi se desgastando por diversos problemas, sendo um deles Walewska ser “compulsiva por compra” e ter gastado parte considerável do patrimônio construído com ele.

Problemas no passado

O corretor de imóveis relatou, também, que a atleta teria tentado suicídio há três anos no apartamento onde eles moravam, em Uberlândia, região do Triângulo Mineiro. Conforme o depoimento de Ricardo Alexandre Mendes, ele chegou a alertar o sogro sobre o ocorrido e sobre os problemas que o casal enfrentava.

“Nos últimos meses, [Ricardo relata que a relação] já estava bem desgastada e que ocorriam pequenas discussões, mas nada [em tom] agressivo. Ele falava que não estava feliz ao lado dela e queria o divórcio para seguir um novo caminho”, diz outro trecho do boletim de ocorrência ao qual o Uol teve acesso.

Ricardo afirmou que, na quinta-feira (21), foi ao trabalho e voltou para casa por volta das 17h30. Ele relatou que Walewska enviou uma mensagem de texto para ele, às 18h07, falando sobre o casamento desgastado dos dois. O corretor de imóveis disse que a mensagem abordava a decisão dele de se separar.

Às 18h29, o marido da atleta disse que recebeu uma mensagem no grupo de mensagens do prédio informando sobre um acidente ocorrido com Walewska. Na sequência, a gestora do edifício foi até o apartamento do casal e encontrou com Ricardo para contar o que tinha acontecido com a ex-jogadora de vôlei.

Segundo o registro, Ricardo teria ficado impactado e abalado com a notícia e permaneceu no apartamento. O esposo de Waleswka disse ter ido para o trabalho ontem (21) e retornou ao apartamento por volta das 17h30. A polícia está investigando o caso como suicídio.

Sepultamento de Walewska

O corpo de Walewska Oliveira vai ser sepultado neste sábado (23), no Bosque da Esperança Cemitério Parque, em Belo Horizonte. O velório está marcado para as 6h e será reservado para amigos e familiares.

Walewska Oliveira tinha 43 anos e morreu nessa quinta-feira (21) após cair do 17° andar do edifício onde morava no bairro Bela Vista, em São Paulo (SP). A Polícia Civil de São Paulo investiga a morte de Walewska, cujas causas ainda não foram divulgadas. O caso foi registrado como “morte suspeita”.

Walewska do Vôlei

Nascida em Belo Horizonte, Walewska, que faria 44 anos no próximo dia 1º de outubro, foi revelada pelo Minas Tênis Clube, ainda adolescente, onde jogou entre 1995 e 1998.

Foi campeá olímpica em 2008, nos Jogos de Pequim. Passou por clubes como São Caetano, Rexona, Vôlei Futuro e por times da Itália, Espanha e Rússia. Encerrou a vitoriosa carreira no ano passado, no Praia Clube, de Uberlândia.

Além do ouro em Pequim, Walewska foi bronze nas olimpíadas de Sydney, em 2000. Venceu a Superliga duas vezes, nas temporadas 1999-2000 e 2017-18; a Supercopa Brasileira, em 2019, 2020 e 2021; o Troféu Super Vôlei, em 2020, e o Campeonato Mineiro, em 2019 e 2021.

Conquistou três títulos do Grand Prix, os Jogos Pan-Americanos de 1999 e a Copa dos Campeões de 2013.

Arreda pra Cá

Nesta semana, o podcast do BHAZ recebe um dos responsáveis por uma das maiores febres de Belo Horizonte: o Xeque Mate. Quem é de outros estados pode até achar que tem a ver com xadrez, mas o povo da capital mineira sabe que se trata de uma bebida. E o criador da receita, Gael Rochael, é nosso convidado desta semana.

A mistura refrescante de chá mate, rum, guaraná e limão surgiu como uma alternativa à tradicional cerveja dos rolês, a princípio apenas para agradar um grupo de amigos. Com o tempo, caiu nas graças do público, conquistou as prateleiras de supermercados e foi sucesso no Carnaval.

Agora, a bebida queridinha dos mineiros busca conquistar a galera de São Paulo e outros estados.

No Arreda pra Cá, Gael deu detalhes sobre a receita, comentou os boatos de que a marca estaria à venda e falou sobre a relação de amor por BH que ajudou a elevar o Xeque Mate. O episódio completo estreou nessa terça-feira (19), confira:

Andreza Miranda

Graduada em Jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2020. Participou de duas reportagens premiadas pela CDL/BH (2021 e 2022); de reportagem do projeto MonitorA, vencedor do Prêmio Cláudio Weber Abramo (2021); e de duas reportagens premiadas pelo Sebrae Minas (2021 e 2023).

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ