Pesquisar
Close this search box.

Morre quarta pessoa baleada nos ataques a escolas em Aracruz

Por

ataques a escolas
Professora Flavia Amoss é a quarta pessoa a morrer vítima dos ataques a escolas em Aracruz (Reprodução)

A Secretaria de Saúde do Espírito Santo confirmou, na tarde deste sábado (26), a morte de mais uma pessoa vítima dos ataques a escolas em Aracruz nessa sexta-feira (25).

A professora Flavia Amoss Merçon Leonardo, de 38 anos, estava em estado grave. Ela dava aulas na Escola Estadual Primo Bitti, a primeira em que um adolescente de 16 anos entrou atirando.

Os ataques a escolas

Na manhã dessa sexta (25), um menino de 16 anos entrou armado em duas escolas de Aracruz. Três pessoas morreram nos locais e outras 13 se feriram.

Ele teria entrado na Escola Estadual Primo Bitti, onde ele já estudou, pelo portão dos fundos após arrombar um cadeado. O adolescente então se dirigiu a uma sala de professores, onde atirou contra quem estava no local. Duas professoras morreram e outras nove se feriram.

Em seguida, ele se dirigiu ao colégio particular Centro Educacional Praia de Coqueiral, onde atingiu três pessoas. No local, uma professora também morreu e outras duas pessoas precisaram ser hospitalizadas.

Após o crime ele retornou para casa e, em seguida, se dirigiu a uma casa de praia da família, onde foi apreendido.

No local, a polícia apreendeu o revólver e uma pistola que ele usou no crime, além de facas e simbologias nazistas. As armas são do pai, policial militar.

“Ele estava querendo atingir pessoas, as primeiras que ele pudesse encontrar. Não tinha alvo definido. O comportamento dessas pessoas com esse nível de psicopatia é de ficar isoladas e se juntar a grupos extremistas. Agora vamos apurar toda a história dele para saber com quem ele está se relacionando aqui e fora do Brasil”, disse o secretário de segurança do ES.

Richarlison se solidariza

O jogador Richarlison, maior destaque da Seleção Brasileira neste início de Copa do Mundo, se solidarizou com as vítimas dos ataques no Espírito Santo, estado onde o atleta nasceu.

“Minha solidariedade e tristeza pelo que aconteceu ontem no meu estado, em Aracruz. Professoras e uma criança mortas. Coisa impossível de acreditar que ainda aconteça. Muita força e carinho pras famílias e amigos”, escreveu o jogador pelo Twitter.

Redação BHAZ

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ