Mulher é presa após matar ex-marido ao brincar com arma “dando tiro para aparecer”

Divulgação/Polícia Civil

Uma mulher foi presa na última segunda-feira (5) suspeita de matar o ex-marido por acidente. Kátia de Oliveira Santos, de 38 anos, acertou um tiro no pai de sua filha, Robson Divino de Faria, também de 38 anos, durante uma “brincadeira”. Após atingir a vítima, a mulher carregou o homem até a sua caminhonete e o deixou na porta do hospital, fugindo logo em seguida.

O caso aconteceu no dia 7 de agosto, em Goiânia (GO). Kátia teve há cerca de 15 anos um relacionamento estável com Robson, tendo como fruto a filha do casal, que hoje tem 14 anos. Após o término, a mulher mudou-se para a Europa, onde mora há cerca de dez anos.

Segundo o delegado Carlos Caetano, responsável pelo caso, Kátia visitava o Brasil uma ou duas vezes por ano. Em sua última visita, ela resolveu adquirir uma arma de fogo para se “proteger”. “Ela tinha comprado uma arma assim que chegou. Alegou que era para defesa pessoal”, conta Caetano ao Bhaz.

Arma utilizada para o disparo (Divulgação/Polícia Civil)

O revólver de calibre 38 foi comprado ilegalmente. Segundo o delegado, a presa, o ex-marido e outras duas amigas dela passaram o dia em distribuidoras de bebidas do bairro. Kátia teria se “empolgado” com a compra da pistola e passou o dia fazendo disparos por brincadeira. “Ela estava dando tiro para aparecer”.

No entanto, o último disparo efetuado pela mulher foi fatal. O tirou atingiu o braço esquerdo e abdome do ex-marido. De acordo com Caetano, a bala alojou-se próximo ao coração e Robson acabou evoluindo a óbito.

Divulgação/Polícia Civil
Caminhonete onde foi feito o transporte da vítima (Divulgação/Polícia Civil)

“Ela é uma mulher forte. Pegou ele no braço, levou ele na carroceria até o hospital, deixou ele na porta e sumiu”. Dois dias após o ocorrido, a mulher apresentou-se na delegacia, onde entregou a arma e confessou o crime. Contudo, como o homicídio não configurava-se em flagrante, Kátia foi liberada. “Ela saiu pela porta da frente da delegacia”, disse Caetano.

Cerca de oito dias após o incidente, foi emitido o mandado de prisão para a mulher, que, no entanto, encontrava-se foragida. Já na última segunda-feira, Kátia foi localizada e presa.

Culpa

Caetano afirma que a mulher não demonstrou sentimento de culpa quando apresentou-se pela primeira vez à polícia. Entretanto, após a prisão, ela mostrou-se sentida pelas consequência de seu ato. “Ela estava com cara de tristeza por causa do cárcere e não pelo crime em si”, conta.

A filha do casal, por sua vez, está inconformada pela morte do pai, mas acredita na falta de intenção. Kátia teria inclusive convidado a jovem, que mora com os avós paternos, para que fizessem uma viagem juntas. “Ela conseguiu arrebanhá-la para o lado dela”.

A suspeita irá responder por homicídio culposo (sem a intenção de matar), compra e porte ilegal de arma de fogo. As penas podem passar de 20 anos de reclusão.

Jéssica Munhoz

Jessica Munhoz é redatora do Portal Bhaz e responsável pela seção Cultura de Rua.