Brasil registra primeiros dois casos da variante deltacron da Covid-19

deltacron
Casos foram identificados na região Norte, diz ministro Marcelo Queiroga (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou que o Brasil já registrou dois casos da variante deltacron, cepa do coronavírus que combina características da ômicron e da delta, nesta terça-feira (15). Desde o início do mês, a OMS (Organização Mundial da Saúde) vem monitorando a mutação, que surgiu na Europa.

De acordo com o The Guardian, as primeiras evidências sólidas da nova variante foram compartilhadas pelo Instituto Pasteur, da França. A comunidade global de cientistas Gisaid afirmou que a cepa foi identificada em várias regiões francesas.

A deltacron contém genes de ambas as variantes – delta e ômicron -, o que é conhecido como vírus recombinante. Ao que tudo indica, a circulação da cepa teve início ainda no começo deste ano. “Genomas com um perfil similar também foram identificados na Dinamarca e na Holanda”, diz a instituição científica.

Deltacron no Brasil

Sobre a mutação no Brasil, Queiroga informa que os casos foram registrados no Amapá e no Pará. O líder destaca que, em um contexto de pandemia, as possibilidades de o vírus sofrer mutações aumentam. Considerando que a Covid-19 se espalha com grande facilidade entre a população e se replica de modo veloz, a vacinação segue uma arma poderosa.

“Esta variante é considerada de importância e requer o monitoramento”, pontuou o ministro da Saúde. Ele defendeu que, mesmo com a “desaceleração” do surgimento de novos casos em todo o país, as autoridades sanitárias devem continuar em estado de alerta.

Marcelo Queiroga afirmou que “tudo que acontece nos outros países, nós observamos”. O monitoramento constante seria resultado dos investimentos que o governo federal realizou após a pandemia, tornando possível fortalecer a vigilância genômica em território brasileiro. Além dos países já citados, outros casos já foram registrados no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Brasil registrou casos de ‘Flurona’

Desde o final do ano passado, um novo termo invadiu o vocabulário brasileiro. e, desde então, tem despertado muitas dúvidas. O primeiro caso de contágio simultâneo pelo coronavírus SARS-CoV-2 e pelo vírus Influenza, conhecido como “flurona”, em Israel foi detectado em uma mulher grávida não vacinada, confirmou o Ministério da Saúde israelense. 

Ainda que alguns sintomas da gripe e da Covid-19 sejam similares e confundam a população, é importante tê-los em mente. Isso se dá, principalmente, para alcançar um rápido diagnóstico e iniciar os tratamentos prontamente.

Confira abaixo os sintomas mais comuns observados na “fusão” entre as duas infecções:

  • Dor no corpo;
  • Dor de garganta;
  • Febre.

Além de alertar sobre a manutenção das medidas de proteção contra o coronavírus, tais como distanciamento social e uso de álcool em gel, infectologistas reforçam a importância de realizar testes para detectar o vírus da Covid-19 e da gripe.

Com Agência Brasil

Edição: Roberth Costa
Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários