Covid-19: Maioria dos brasileiros acredita que Bolsonaro atrapalha vacinação infantil, diz Datafolha

Bolsonaro atrapalha vacinação infantil
Mulheres lideram a porcentagem no levantamento (Reprodução/Adão de Souza/PBH)

Em pesquisa, o Datafolha revelou que a maioria dos brasileiros crê que o presidente Jair Bolsonaro (PL) atrapalha a vacinação infantil contra Covid-19. O levantamento realizou 2.023 entrevistas com brasileiros mais em todos os estados do país, entre 12 e 13 de janeiro deste ano.

Com margem de erro de dois pontos percentuais, o número de pessoas que registraram opinião desfavorável é equivalente a 97,3 milhões. Para 25% dos entrevistados, Bolsonaro mais atrapalha do que ajuda no que diz respeito ao tema. Enquanto outros 14% não souberam responder, 2% tiveram opinião neutra, dizendo que ele nem ajuda nem atrapalha a vacinação de crianças no país.

25% dos entrevistados disseram que o presidente mais atrapalha que ajuda

Mulheres brasileiras lideram a crença

Ainda de acordo com o Datafolha, homens são a maioria – 32% – a acreditar que o presidente mais ajuda que atrapalha. Em contrapartida, mulheres – 61% – demonstram a opinião contrária. Isto é, a de que Bolsonaro atrapalha a vacinação infantil mais do que ajuda.

No grupo dos entrevistados que compartilham a crença de que o chefe do Executivo mais ajuda, 30% têm entre 45 e 59 anos e 28% estudaram até o ensino médio. Além disso, 32% possuem renda mensal familiar de mais de dez salários mínimos e 36% são evangélicos.

Já em relação aos idosos, os que acreditam que Bolsonaro atrapalha a vacinação têm 60 anos ou mais (64%), ensino superior (66%) e renda de mais de dois a cinco salários mínimos (61%).

79% apoiam vacinação infantil

A pesquisa revela, ainda, que 79% dos brasileiros a partir de 16 anos apoiam a vacinação de crianças. O percentual é equivalente a 132,5 milhões de pessoas no Brasil; assim, os que negam a importância da imunização são apenas 17%. 4% não souberam opinar.

Maioria acredita nos benefícios da vacinação para crianças

No grupo dos que concordam com a medida de saúde pública, estão 83% das mulheres entrevistadas e 75% dos homens. Na região Sudeste, 83% acham que os pequenos devem ser vacinados e, no Sul, o levantamento mostra aprovação de 72%. No Nordeste, 78% são a favor e no Centro-Oeste/Norte (a pesquisa agrupou as duas regiões) há 77% que acreditam na favorabilidade do tema.

Edição: Vitor Fernandes
Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários