Marcelo Moreno surpreende ao pintar uniforme do Cruzeiro no corpo: ‘Eu nunca tirei essa camisa’

Marcelo Moreno é apresentado
O jogador tirou o casaco e mostrou a pintura corporal (Cruzeiro/YouTube/Reprodução)

O novo reforço do Cruzeiro – que não é tão novo no time – demorou para chegar à coletiva de apresentação, mas, quando chegou, o atraso foi justificado. Marcelo Moreno oficializou a volta à Raposa tirando o casaco na coletiva e exibindo nada menos que a camisa 9 do time pintada no corpo.

Ao ser questionado se havia esquecido a camisa por causa do atraso, o “Flecheiro Azul” aproveitou a oportunidade para fazer a surpresa. “Calma, calma. Eu nunca tirei essa camisa”, ele garantiu, enquanto tirava o casaco para mostrar a pintura inusitada.

Na internet, a apresentação dividiu opiniões: parte da torcida do Cruzeiro curtiu a inovação, que é a cara do atacante boliviano. Um torcedor brincou no Twitter com a fama de “marketeiro” do jogador: “Demite o marketing todo e contrata ele pra lá, o cara é um monstro”.

Enquanto isso, outros provocaram, brincando com a situação econômica do time. “A coisa tá feia mesmo, não tem dinheiro nem pra camisa de apresentação”, comentou um torcedor atleticano na rede social.

O time anunciou a volta de Marcelo Moreno no domingo (16), com a hashtag #OFlecheiroVoltou nas redes sociais. No dia anterior, circulava nas redes sociais um áudio do atacante falando sobre o retorno, que será sua terceira passagem pelo time.

+ ‘Sei que vão me chamar de maluco’: Marcelo Moreno ‘abre mão’ de R$ 50 milhões para jogar Série B pelo Cruzeiro

“Muitas vezes dinheiro não compra saúde e é uma decisão muito minha, muito pessoal. Eu sei que vão me chamar de maluco, mas que seja maluco pelo Cruzeiro. Louco por amor pelo Cruzeiro e não por outras coisas porque eu tenho certeza que outro jogador não faria isso”, declarou o jogador.

Marcelo Moreno já passou duas vezes pelo Cruzeiro. Entre 2007 e 2008, marcou 21 gols em 36 jogos. Já em 2014, conquistou o Campeonato Mineiro e o Brasileirão pela Raposa, marcando 24 gols em 57 partidas. Ele foi o maior artilheiro estrangeiro da história do clube até 2018, quando foi superado por Arrascaeta.

Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.