Menino de 1 ano compra R$ 10 mil em móveis no celular da mãe e dá prejuízo: ‘Pacotes não param de chegar’

Menino compra R$ 10 mil em móveis
Garotinho ainda não completou 2 anos, mas deu um susto em seus pais (Reprodução/News 12)

Um garotinho norte-americano de Nova Jersey deu um baita susto em seus pais, que estão no processo de mudança de casa. É que o pequeno Ayaansh Kumar comprou o equivalente a R$ 10 mil em móveis na loja Walmart, enquanto brincava com o celular da mãe. “Ele apenas foi ao carrinho e bum, clicou em tudo que estava lá. Todos os pagamentos foram feitos”, explicou o pai, Pramod Kumar à News 12.

O casal notou a dimensão da presepada, na qual perderam quase 2 mil dólares, somente quando diversos pacotes não solicitados chegaram à residência deles. A mãe, Madhu, admitiu que gosta muito de comprar. Por conta disso, já tem todos os dados de pagamento salvos no celular e reuniu diversos produtos em seu carrinho. Ela diz que ainda estava no processo de selecionar móveis para a casa nova, mas não tinha a intenção de comprar tudo o que adicionou ali.

‘Acho que ele precisa de um celular’

“Nós vimos ele com o celular na mão e dissemos ‘ah, não’. Então, ligamos para questionar se podíamos cancelar o pedido, mas eles disseram que não, pois a entrega já havia sido feita”, disse a matriarca. “A primeira pessoa chegou com uma caixa e colocou próximo à porta. A segunda veio e colocou no primeiro degrau, depois nos segundo e terceiro degraus. Formou uma ‘fila'”, detalhou.

À News 12, Madhu ainda explicou que Ayaansh, o menino que comprou R$ 10 mil em móveis, nasceu durante a pandemia. Por conta disso, está acostumado aos artifícios de comunicação online e sempre observa os pais no celular. “Ele gosta de celulares porque todo mundo está no virtual. Todos estão ocupados com seus celulares, os irmãos dele sempre com os seus aparelhos, e eu não sei. Eu acho que ele precisa de um”, brincou a mãe.

As entregas ainda não acabaram, e a família explica que apenas 75% dos produtos foram entregues na casa nova. Mas parece que a loja Walmart foi compreensiva quanto ao mal entendido: o estabelecimento deve reembolsá-los pelas peças que eles devolverem. Apesar disso, o casal pretende excluir todos os dados de cartões de crédito de seus celulares para evitar incidentes futuros.

Edição: Vitor Fernandes
Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários