Pesquisar
Close this search box.

Suspeito de matar brasileiro que elogiou cachorro nos EUA é preso

Por

Eric Locelvira e Matheus Gaidos
Homem estava passeando com cachorros quando atirou no brasileiro (Reprodução/Facebook)

O suspeito de matar o brasileiro Matheus Gaidos na Califórnia, nos Estados Unidos, foi preso nessa quinta-feira (6). O homem, identificado como Eric Locelvira, de 22 anos, estava passeando com os cachorros no dia do crime e teria atirado no jovem depois que ele elogiou um dos animais.

“Devido aos esforços incansáveis e colaborativos dos investigadores de homicídios do OPD [Departamento de Polícia de Oakland] e do Serviço de Delegados dos Estados Unidos, Locelvira foi detido em Chicago. O Condado de Alameda indiciou Locelvira pelo crime”, diz comunicado divulgado pelo OPD.

O departamento policial também informou que a mulher que estava com o suspeito no momento do crime já foi identificada e não é mais procurada.

A corporação vinha divulgando imagens do homem e da mulher desde o dia do homicídio de Matheus Gaidos, em 21 de junho, a fim de localizar Eric Locelvira e indiciá-lo pelo crime. Na quarta-feira (5), o OPD chegou a oferecer uma recompensa de até US$ 10 mil, cerca de R$ 49 mil, por informações que levassem à prisão do suspeito.

Comunicado
Polícia estava em busca do suspeito (Reprodução/Facebook)

Relembre o caso

Matheus Gaidos, de 27 anos, foi morto com um tiro à queima-roupa enquanto entregava flores na cidade onde morava na Califórnia. O jovem teria elogiado o cachorro de Eric Locelvira, que começou uma briga e atirou contra ele.

Imagens de câmeras de segurança divulgadas pela emissora KTVU mostram o momento em que os dois se envolveram em uma discussão na rua, na cidade de Oakland. A mãe da vítima, Isabel Martines, contou que Matheus estava conversando com um amigo pelo telefone quando levou o tiro.

À KTVU, a mãe de Matheus Gaidos disse que o rapaz estava jogando um videogame e conversando com um amigo em ligação enquanto fazia a entrega das flores. O amigo ouviu o jovem dizer “cachorro legal” ao homem, e a discussão começou.

“Matheus disse a ele [ao amigo] no telefone: ‘eu levei um tiro’. Ele estava fazendo sua última entrega antes de ir para casa. Ele não fez nada errado”, contou Isabel Martines.

Nas imagens de câmeras de segurança, o atirador aparece caminhando com uma mulher e dois cachorros. Eles passam por Matheus, que está fazendo uma entrega na portaria de um prédio, e o homem se vira de costas e troca algumas palavras com o brasileiro.

O suspeito, então, levanta a mão em direção ao jovem, que joga as flores no agressor. Ainda conforme o vídeo, o homem saca a arma e atira contra o rapaz, fugindo em seguida. A mulher que estava com ele pega um cachorro do chão e corre em direção ao suspeito.

Testemunhas também confirmaram que Matheus Gaidos teria elogiado o cão do atirador antes da discussão.

Moradores da região disseram à emissora que o suspeito vivia no bairro havia alguns meses e era visto com frequência passeando com seu bulldog francês.

Luto

A família do jovem disse que ele se mudou para os Estados Unidos há cerca de cinco anos para fugir da violência do Brasil. Ele trabalhava como entregador na região da Baía de São Francisco, na Califórnia, há cerca de três anos.

O pai de Matheus, Antonio Gaidos, disse na ocasião que lutaria por justiça pelo filho. “É difícil perdoar algo que aconteceu assim. Queremos justiça, não queremos ver isso acontecendo com outra pessoa”, defendeu.

“É meu único filho. A dor, eu não consigo explicar a dor. Não sei o que fazer, estou destruída por dentro”, lamentou a mãe do jovem.

Isabel Martines também contou que visita o filho todo ano. A próxima viagem estava marcada para setembro e, segundo ela, Matheus sempre a recebia com flores.

Dario Pacheco e Guilherme Silva, dois amigos brasileiros do jovem que também moram nos Estados Unidos, contaram que também se mudaram para o país pela segurança. “Poderia ter sido um de nós. Poderia ser outro amigo. Agora, não nos sentimos seguros na rua”, disse Pacheco.

Sofia Leão

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ