Governo de Minas vai pagar auxílio emergencial de R$ 500 em agosto

reunião zema
Medida foi confirmada em reunião entre governador e prefeitos (Gil Leonardi/Imprensa MG)

O governador Romeu Zema (Novo) anunciou, nesta quinta-feira (29), que o Governo de Minas vai pagar um auxílio emergencial de R$ 500 para cidadãos mineiros em situação de extrema pobreza. A medida é uma iniciativa da ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais) e foi aprovada em primeiro turno. A expectativa é de que mais de um milhão de famílias sejam amparadas.

De acordo com a proposta dos deputados, a previsão é de que o auxílio de R$ 500 seja quitado em parcela única em agosto deste ano, após o pagamento da última parcela do auxílio emergencial que está sendo efetuado pelo governo federal. O limite do pagamento é de R$ 500 por família – e ele vale para aqueles que têm renda per capita familiar de até R$ 89, conforme o CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais).

“Apoiar as famílias que mais precisam é urgente. Por isso, vamos pagar um auxílio de R$ 500, em parcela única, para aqueles que estão em situação de extrema pobreza. Desde o fim do ano passado, estudávamos formas de fazer esse pagamento”, afirmou o governador, em publicação nas redes sociais. Zema disse ainda que o objetivo é “melhorar a vida do nosso povo”.

‘O possível para que todos recebam’

O pagamento do auxílio também foi confirmado pelo governador Romeu Zema durante reunião com o presidente da Assembleia, Agostinho Patrus, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, e cerca de 180 prefeitos de todas as regiões do estado.

Zema explicou ainda que para efetuar o pagamento do auxílio serão utilizados recursos do Refis, programa de renegociação de dívidas de empresas, aprovado pelo Governo do Estado em março deste ano no Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

“Após reuniões e entendimentos com os deputados estaduais, conseguimos viabilizar o Refis, que o Governo do Estado aprovou em março no Confaz. O sucesso do programa é que dará condição para o pagamento. Em nome do Governo de Minas, me comprometo a fazer o possível para que todos recebam o auxílio”, ressaltou.

Auxílio de R$ 39

Ainda em 2020, após promessas de estudar a possibilidade de um auxílio do estado, o governador anunciou o pagamento de R$ 39 mensais para pessoas que vivem em situação de extrema pobreza no estado. A medida, publicada em decreto no mês de setembro, previa o pagamento em até três parcelas – e foi alvo de muitas críticas.

A alta do preço do arroz foi protagonista nas publicações críticas da medida nas redes sociais. À época, o BHAZ consultou os sites dos principais supermercados de Belo Horizonte, e constatou que o valor médio de um saco de arroz de 5kg era de R$ 26,70 (relembre aqui).

Levando em conta esse preço médio do saco de arroz de 5kg, o auxílio emergencial anunciado na ocasião não conseguiria arcar, mensalmente, nem mesmo duas unidades desse alimento básico do brasileiro. “Deve ser dólares e o pessoal entendeu errado”, ironizou um usuário na internet.

Crescimento na economia

Agora, com o anúncio do pagamento de R$ 500, o presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus, ressaltou que os benefícios da medida vão além do social para as famílias que passam por dificuldades, principalmente neste momento de pandemia.

“Serão mais de R$ 500 milhões que vão entrar na economia dos municípios, o que também faz um apoio importante ao comércio local e na arrecadação dos municípios, já que o consumo local gera também este crescimento”, afirmou Agostinho Patrus.

Com Agência Minas

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde julho de 2021 e repórter desde 2019. Graduada em jornalismo pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2021, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sebrae de Jornalismo também em 2021.

Comentários