Minas deve ter novo pico de casos de Covid nos próximos 15 dias, diz secretário de saúde

pico covid
Nessa quarta-feira, Minas Gerais registrou 18.153 novos casos de Covid-19 em 24 horas, maior número de registros desde o começo da pandemia (FOTO ILUSTRATIVA: Banco de imagens/Pixabay)

Depois de bater o recorde de pessoas infectadas pela Covid-19 em um único dia, nessa quarta-feira (12), Minas Gerais pode estar perto de um novo pico da doença. É o que alertou o secretário estadual de saúde, Fábio Baccheretti, em entrevista coletiva realizada hoje (13). Segundo ele, o ápice de contágio deve acontecer nas próximas duas semanas.

“O vírus está circulando como nunca circulou. A nova cepa, a Ômicron, tem uma capacidade de infectar muito maior em relação às demais que surgiram desde o início da pandemia. A única forma de se combater a doença é se vacinando e usando máscara”, alertou.

Nessa quarta-feira, Minas Gerais registrou 18.153 novos casos de Covid-19 em 24 horas, maior número de registros desde o começo da pandemia. Até então, o recorde de diagnósticos era de abril de 2021, quando o estado notificou 16.479 casos (veja aqui).

Não vacinados correm 11 vezes mais riscos

Um estudo feito pela SES-MG (Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais) revela que quem não se imunizou contra a Covid-19 tem 11 vezes mais chances de morrer em decorrência de complicações da doença.

Segundo o levantamento, no último mês, a média de taxa de óbitos por 100 mil habitantes no estado foi de 0,06 para vacinados com duas doses. Para os que tomaram apenas uma dose, a taxa é de 0,12. Já os que não tomaram a vacina, o número chega a 0,71.

Até o momento, 86,27% da população mineira está imunizada com as duas doses de vacinas contra a Covid-19. Com a primeira aplicação, o número chega a 91,96%.

Já tomaram a dose de reforço 3.670.445 mineiros, o que corresponde a 20,27% do público-alvo do estado. O andamento da vacinação em Minas pode ser consultado no Painel Vacinômetro, do governo estadual.

Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários