Pesquisar
Close this search box.

Minas Gerais divulga lista dos 12 criminosos mais procurados do estado

Por

Lançamento da lista dos criminosos mais procurados de Minas
Condenações dos foragidos somam 400 anos de prisão (Tiago Ciccarini/Sejusp)

O Governo de Minas lançou, nesta quarta-feira (23), a sexta edição do programa Procura-se com a lista dos 12 criminosos mais procurados do estado. A iniciativa busca encontrar acusados com mandados de prisão em aberto, com condenações que somam 400 anos de prisão.

Os 12 criminosos desta edição do programa estão foragidos por crimes como homicídios, roubos e tráfico de drogas, e a listagem foi definida após deliberação do Sistema Estadual de Inteligência em Segurança Pública (SEISP-MG).

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, Rogério Greco, reforçou o pedido pela colaboração da população para a localização dos mais procurados, por meio de denúncias ao Disque Denúncia 181.

“São líderes de facções criminosas muitas vezes escondidos em meio à população, e sem a colaboração da população é quase impossível descobrir essas pessoas. Então a participação pelo 181 é fundamental”, explica.

“A denúncia é 100% anônima, não há qualquer possibilidade de ter conhecimento de quem trouxe essa informação ao Estado. A população pode ficar tranquila; ao denunciar, está só colaborando para a diminuição da violência na sua própria comunidade”, ressaltou Greco.

Crimes

O diretor-geral da Agência Central de Inteligência da Sejusp e coordenador do Procura-se, Murillo Ribeiro, afirma que entre os procurados de Minas Gerais estão responsáveis por grandes assaltos a banco, homicídios, tráfico de drogas, e mais.

Também há criminosos que movimentaram quantias expressivas de recursos financeiros, outros presos em ações anteriores e que estão ou foragidos, ou com ordem de recaptura por fuga do sistema penitenciário.

Além da prisão, o programa tem como objetivo inibir a circulação dos criminosos, por meio da divulgação das imagens dos 12 procurados em cartazes que serão afixados em pontos estratégicos de grande circulação, e também de forma virtual.

Nas cinco edições anteriores do Procura-se, em 2011 (duas listas), 2012, 2017 e 2021, foram presos 51 dos 62 alvos lançados, o equivalente a 82% de sucesso.

Mais procurados de Minas

Confira a lista dos criminosos mais procurados de Minas Gerais:

Rogério Soares de Oliveira (Negão)

Rogério

Idade: 52 Anos

Latrocínio

Possui mandado de prisão em aberto, fuga em aberto e condenação de 20 anos de prisão, com pena remanescente superior a 15 anos. Rogério é um dos autores do crime que vitimou um sargento da PMMG, na cidade de Ilicínea/MG, no ano de 2017.

Jackson da Conceição Silva (Tiquim)

Tiquim

Idade: 38 anos

Homicídio, roubo majorado e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito

Possui dois mandados de prisão em aberto e condenação superior a 39 anos de prisão, com pena remanescente de mais 20 anos. Ele é uma liderança na região do bairro Alto Vera Cruz, zona leste de Belo Horizonte, envolvido com o tráfico ilícito de drogas.

Felipe Augusto Rodrigues Silva (Gordinho, Dudu)

Felipe

Idade: 25 Anos

Homicídio qualificado, roubo majorado, adulteração de sinal identificador de veículo e corrupção de menores

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 45 anos de prisão, com pena remanescente de mais de 38 anos. No ano de 2016, Felipe e outros comparsas roubaram e assassinaram um policial militar. Estaria atuando no tráfico ilícito de drogas na região de Sete Lagoas.

Gilcimar da Silva (Cascão, Castor, Tiririca)

Gilcimar

Idade: 43 Anos

Constituição de milícia privada, extorsão, latrocínio e roubo majorado

Possui fuga em aberto e deve ser imediatamente preso. Condenação superior a 73 anos de prisão com pena remanescente superior a 62 anos. Já praticou diversos crimes contra o patrimônio, inclusive, roubo a banco, modus operandi “Domínio de Cidades”. Tem registro de uso de documento falso (falsidade ideológica).

David Benedito Santos Neto (Murilo, Lerdão)

David

Idade: 29 Anos

Tráfico ilícito de drogas e homicídio

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 5 anos de prisão. Exerce liderança entre integrantes de facção criminosa oriunda do Rio de Janeiro, atuante em Andrelândia/MG e região. É apontado como mandante de crime de homicídio ocorrido em Andrelândia, motivado por disputas pelo controle e domínio territorial de pontos de tráfico de drogas.

Eberton Sales Morais (Chabala, Marechal, Ribamar, C3)

Eberton

Idade: 39 Anos

Tráfico ilícito de drogas, porte ilegal de arma de fogo e corrupção ativa

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 8 anos de prisão. Possui atuação preponderante em Três Corações/MG, e em alguns munícios do Estado de São Paulo. Em 2019, foi um dos alvos da operação policial “Hefesto”, que investigou a atuação de uma facção criminosa nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Norte.

Eduardo Lourenço Marques (Dudu)

Eduardo

Idade: 30 Anos

Porte ilegal de arma de fogo, tráfico ilícito de drogas e uso de documento falso

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 10 anos de prisão. É líder da Organização Criminosa atuante em Manhuaçu/MG.

Roberto Carlos Paranhos

Roberto

Idade: 34 Anos

Homicídio qualificado, roubo majorado, furto qualificado, uso de documento falso e porte ilegal de arma

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 71 anos de prisão, com pena remanescente de mais 61 anos. Atuante em municípios do Alto Vale do Jequitinhonha. Indivíduo violento, agressivo e perigoso. Possui histórico de enfrentamento às forças policiais, com dois registros de homicídio tentado contra policiais nos anos de 2010 e 2011.

Sonny Clay Dutra

Sonny

Idade: 41 Anos

Tráfico ilícito de drogas e associação ao tráfico

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 11 anos de prisão. É um importante traficante internacional de drogas, sendo líder de uma Organização Criminosa. O grupo criminoso liderado por ele atuou em diversas localidades mineiras, mantendo conexão com outras organizações criminosas também no Paraguai.

Wesley Militão da Silva (Wesclim)

Wesley

Idade: 26 Anos

Homicídio de roubo majorado

Possui quatros mandados de prisão em aberto e condenação superior a 13 anos de prisão. É líder de Organização Criminosa atuante em Juiz de Fora/MG. Atua, principalmente, no tráfico ilícito de drogas e crimes violentos. Possui ramificações no Estado do Rio de Janeiro.

Marcelo Jaime Gonçalves (Marcelinho Pisca-Pisca, Pisca, Marcelinho, Marcelinho Cabana)

Marcelo

Idade: 40 Anos

Homicídio de tráfico ilícito de drogas

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 53 anos de prisão, com pena remanescente de mais de 32 anos. É líder de Organização Criminosa atuante na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Angelo Gonçalves de Miranda Filho (Pezão, Anjinho, Negão)

Angelo

Idade: 41 Anos

Homicídio, extorsão, associação ao tráfico e porte ilegal de arma de uso restrito

Possui mandado de prisão em aberto e condenação superior a 26 anos de prisão. Envolvido com a mercancia ilícita de drogas e criminalidade violenta, no município de Teófilo Otoni e na região metropolitana de Belo Horizonte. Na capital, atuou no aglomerado Moro das Pedras e no bairro Califórnia. Também atuou nos municípios de Contagem e Ibirité. Possui ramificações no Estado de São Paulo.

Arreda Pra Cá

Estreou nessa terça-feira (22), às 17h, o Arreda pra Cá, podcast do BHAZ que vai falar de tudo que o mineiro mais gosta: Minas Gerais, claro! Convidamos dez personalidades que têm tudo a ver com o nosso estado pra contar causos e bater um papo despreocupado no nosso sofá. Tem arte, cerveja, rolês, esporte e o que a gente tem de melhor: as nossas mineirices.

A primeira a passar pelo nosso sofá foi Carol Gattaz, central do time feminino de vôlei do Minas Tênis Clube e medalhista de prata com a seleção brasileira nas Olimpíadas de 2020, em Tóquio. Confira o episódio completo:

Sofia Leão

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ