Mulher é estuprada, agredida e proibida de sair de casa pelo marido em cidade de Minas

delegacia frutal
Ocorrência foi registrada na Delegacia de Frutal (Reprodução/Google Street View)

Uma mulher de 43 anos denunciou o marido, da mesma idade, pelo crime de estupro. A vítima relatou que além da violência sexual, ela era agredida e mantida em cárcere privado. O homem nega as acusações. O caso foi registrado em Frutal, no Triângulo Mineiro, na última sexta-feira (24), e é investigado pela Polícia Civil. Ainda não houve prisão.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher disse que vinha sendo agredida constantemente. O homem, conforme registrado na ocorrência, dava tapas, socos, chutes e empurrões. A última vez em que isso ocorreu foi na quinta-feira (23).

Se não bastasse a agressão física, a vítima também era violentada sexualmente. O homem obrigava a companheira a manter relações até três vezes por semana. A mulher disse que era arrastada até o quarto e estuprada pelo cônjuge.

As violências nunca foram denunciadas para a PM anteriormente. A vítima revelou que não queria prejudicar o companheiro, mas acabou chamando a corporação, pois não aguentava mais passar por tudo aquilo. Segundo a mulher, ela também era proibida de sair de casa.

Versão do suspeito

Quando a polícia chegou na casa do casal, encontrou o suspeito, a mulher e os filhos deles. O homem negou todas as acusações. Ele disse que proibiu a companheira de sair de casa, pois ela estava querendo fazer uso de bebida alcoólica.

Segundo a versão apresentada por ele, a mulher está em tratamento de depressão e fica “muito alterada” quando bebe.

A vítima passou por exames no Hospital Frei Gabriel. Os dois foram levados para a Delegacia de Polícia Civil de Plantão de Frutal onde a ocorrência foi encerrada.

De acordo com nota enviada pela Polícia Civil (leia abaixo na íntegra), um inquérito foi instaurado para investigar o caso. O órgão ainda informa que “até o momento não houve prisão”.

Nota da Polícia Civil

“Sobre a ocorrência de estupro registrada na última sexta-feira (24), em Frutal, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) instaurou inquérito para apurar os fatos. A investigação tramita na Delegacia de Polícia Civil do município. Até o momento não houve prisão. Devido à Lei de Abuso de Autoridade, a PCMG não divulga dados de envolvidos em atos ilícitos”.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários