Sergio Moro diz que Bolsonaro comemorou quando Lula foi solto

Sergio Moro
Declaração foi feita em entrevista ao Jornal da Manhã Paraná, da Jovem Pan (Reprodução/Youtube)

O ex-juiz Sergio Moro afirmou, nesta quinta-feira (2), que Jair Bolsonaro (sem partido) comemorou quando o ex-presidente Lula saiu da prisão, em 2019. A declaração foi feita em entrevista ao Jornal da Manhã Paraná, da Jovem Pan.

De acordo com o ex-ministro da Justiça e potencial candidato à presidência, Bolsonaro teria considerado que a saída de Lula da prisão daria ao atual mandatário uma vantagem eleitoral. À época, Moro ainda estava no Ministério da Justiça e Segurança Pública.

O ex-juiz comentou sobre a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de mudar o entendimento sobre a prisão em segunda instância e, consequentemente, soltar o ex-presidente Lula.

‘O presidente não fez nada’

“Respeito o Supremo, mas foi uma decisão errada. […] Depois que o Supremo reviu a decisão, eu trabalhei junto ao Congresso por uma emenda constitucional e por um projeto de lei para reestabelecer a execução em segunda instância. Não adianta ficar reclamando, tem que construir, e foi isso que eu fiz”, começou Moro.

“O presidente não fez nada. Na verdade, o que a gente sabia é que o Planalto, o presidente comemorou quando Lula foi solto lá em 2019. Ele entendia que aquilo beneficiava ele eleitoralmente. Então ele não trabalhou para manter a execução em segunda instância”, completou.

O ex-ministro ainda disse que um dos filhos de Jair Bolsonaro teria feito uma publicação no Twitter comentando sobre a prisão em segunda instância, e o presidente teria feito o filho apagar a postagem.

Durante a entrevista, Sergio Moro ainda voltou a dizer que Bolsonaro sabotou seu trabalho como ministro da Justiça. “Ele começou a sabotar o que eu fazia. Até que chegou em um momento que eu simplesmente saio”, afirmou.

O ex-juiz deixou a pasta em abril de 2020, quando afirmou que o presidente não manteve a promessa de conferir ao ministro “carta branca” na gestão e o acusou de interferência na Polícia Federal.

Edição: Giovanna Fávero
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários