X

Casal é condenado a mais de 20 anos de prisão por morte de ex-conselheiro do Cruzeiro

Divulgação/Marcelo Albert/TJMG

Dois homens foram condenados, nesta sexta-feira (11), a mais de 20 anos de prisão pela morte de um ex-conselheiro do Cruzeiro. O crime ocorreu em agosto de 2011, no bairro Bonfim, região Noroeste da capital, e foi motivado pelo término do relacionamento entre a vítima e uma secretária. Os dois trabalhavam no mesmo sindicato.

O relacionamento entre o conselheiro e a mulher durou 10 anos. Segundo os filhos da vítima, a relação sempre foi movida pelo interesse da mulher pelos bens materiais do homem. Ela pediu a outro rapaz, com quem se relacionava, para matar o ex-companheiro. Ele cumpriu o pedido, visto que também se beneficiava de tudo que ela recebia.

Os suspeitos foram condenados por homicídio qualificado, pois o crime dificultou que o homem realizasse alguma defesa. Um foi condenado a 23 anos e três meses e o outro a 21 anos de prisão em regime fechado. Por serem réus primários, eles responderão ao processo em liberdade.

Quando a mulher mandou matar o ex-companheiro ela estava inconformada por perder vantagens que possuía, como, por exemplo, carro, presentes, viagens e até mesmo o tratamento médico realizado pela mãe. Durante o julgamento, a defesa alegou inexistência de ligação dos fatos com os réus e ausência de motivos para que praticassem o crime, bem como questionou algumas provas.

A decisão foi lida pelo juiz do 1º Tribunal do Júri da capital, Walter Zwicker Esbaille Júnior após mais de 26 horas de julgamento. Ao final do júri, duas testemunhas foram presas em flagrante acusadas de suposta prática de falso testemunho.

Do TJMG

Categorias: BH