Home Carnaval 2018 Juventude Bronzeada balança o bairro Floresta com axé dos anos 80 e 90

Juventude Bronzeada balança o bairro Floresta com axé dos anos 80 e 90

Suor, corpos cobertos de purpurina, glitter, adereços os mais variados, fantasias criativas e um sol escaldante para bronzear ainda mais os  foliões que seguiram o bloco Juventude Bronzeada na manhã desta terça-feira (13), no bairro Floresta.

Ao som dos hits do axé dos anos de 1980 e 1990, 75 mil foliões cantaram, dançaram  e azararam na avenida Assis Chateubriand, por onde o bloco desfilou. Para animar, o bloco também tocou musicas autorais. A inspiração de uma das canções veio da bebida catuçai, mistura do açaí com a catuaba, chamado na letra de “drink do amor, pira, refresca e alimenta, tropical, lacrador, catuçaí”.

Juventude Bronzeada, um dos blocos mais tradicionais da cidade, atraiu foliões de todos os lugares para um dos bairros mais tradicionais da cidade. Moradora do bairro, a aposentada Nilza Leão, 59 anos, estava no meio da multidão, com pique total. “Eu adoro esse bloco aqui na porta da minha casa. Ano passado, eu assisti o bloco da minha casa, joguei água para refrescar e animar. Este ano, desci para brincar no meio da multidão”, comenta ela.

A comerciante Simone Ferreira, 36 anos, veio de Contagem logo cedo para ficar perto do trio. “Eu amo o Carnaval da cidade. Não posso perder o Juventude”, declara. O designer gráfico Rafael Patrício, 26 anos, também se jogou no bloco. “Bom demais estar aqui. Este bloco é muito animado”. A aposentada Soraya Goes, 55 anos, também se revela uma apaixonada pelo Juventude Bronzeada.”Eu vou em vários blocos, mas o Juventude é o melhor de todos”.

A estudante de direito Maria Clara Santiago, 22 anos, cadeirante, é moradora do bairro e, pelo terceiro ano, se rende à diversão do bloco. “Eu adoro o Juventude. É tranquilo e alegre”. Mesmo gostando de rock and roll, com uma tatuagem no corpo, Carlos Lara se rendeu ao axé. “O lance é ampliar os gostos”, comenta ele, que estreia na bateria da atração.

Moradora do bairro Floresta, Nilza Leão não perde o bloco por nada

A apoio de bloco Bruna Leite, 26 anos, também estreia na função dentro bloco, que para ela é uma dos mais gostosos da folia. “O juventude é um bloco de um bairro família, não cresceu tanto e, este ano está de trajeto novo”, ressalta.

O casal Gisele Felizardo, 29 anos,  e Éder Júnior, 29 anos, foram levar o pequeno Eduardo Gabriel Gomes Ramos, de 6 anos, para curtir o primeiro Carnaval.  Gisele conta que eles  aproveitaram a folga no negócio próprio que mantêm para ir ao bloco, chegando cedo para garantir um bom lugar à sombra de uma árvore, a fim de se protegerem do sol. Eduardo, folião de primeira viagem, foi logo afirmando que estava gostando da festa. “Eu estou gostando demais das músicas”, dispara. A funcionária pública Edilene Siuves, também escolheu o Juventude para apresentar à filha, Mariane Vitória, 10 anos,  o Carnaval da cidade. “Eu estou gostando da bateria”, comenta a menina.

O garoto Eduardo Gabriel Gomes Ramos, de 6 anos, foi levado pelo pai e pela madrasta para conhecer o Carnaval da cidade.

O ambulante Rafael Bastos, 31 anos, que vende bebidas no Carnaval da cidade, aproveita a folia com o filho, Kaik Rodrigues, 3 anos, nos braços. “Esse é o primeiro ano dele. Ele está vindo desde sexta-feira com a mãe. Ora está nos meus braços, ora nos braços dela. Ele está gostando e conhecendo  a folia”, comenta Bastos.

Veja a galeria de fotos de Maick Hannder/Bhaz

 

Jefferson Lorentz

Jefferson Lorentz

Jeff Lorentz é jornalista e trabalhou como repórter de pautas especiais para o portal Bhaz.

Comentários

Carregar mais em Carnaval 2018